Caso Bernardo: promotores apontam culpa dos quatro réus por 'homicídio repugnante' - ClicRDC | Notícias de Chapecó e região

Caso Bernardo: promotores apontam culpa dos quatro réus por ‘homicídio repugnante’

Informações G1

O júri do assassinato do menino Bernardo Boldrini chegou nesta quinta-feira (14) à fase de debate entre defesa e acusação. Durante a explanação dos promotores, foram exibidas fotos do cadáver da criança, em um dos momentos de maior comoção do julgamento popular que é realizado desde o início da semana no Fórum de Três Passos, no Noroeste do Rio Grande do Sul.

A promotoria anunciou que iria mostrar imagens fortes para os jurados, réus e todos que assistiam ao julgamento. Era o corpo de Bernardo, deitado na mesa de um necrotério, nu, completamente desfigurado, após ter passado dez dias enterrado em uma cova.

“É forte. Eu espero que o pai dele, que está sentado lá atrás, tenha coragem para ver o filho dele. Porque ele pediu para ver o corpo. E agora ele vai ver”, provocou o promotor Ederson Vieira pouco antes de exibir as imagens.

O pai Leandro Boldrini, no entanto, recusou-se a ver as fotos e pediu para se retirar do salão do júri por meio de sua defesa. Alguns presentes choraram ao ver o estado do corpo sem vida, outros preferiram desviar o olhar daquela cena. Entre os réus presentes no salão do júri, apenas Evandro teve coragem de olhar para a tela.

“O crime é brutal, o crime machuca, o homicídio que elas fizeram é repugnante”, disse o promotor Bruno Bonamente.
Os promotores Ederson Vieira, Bruno Bonamente e Silvia Jappe sustentaram que os quatro réus tiveram participação no assassinato, mas com motivações distintas. “O Evandro fez por dinheiro, não matou por prazer. Os outros três mataram por prazer”, disse Vieira. Evandro fazia sinal de negação com a cabeça enquanto ouvia.

O promotor classificou Edelvânia, Graciele e Leandro como “psicopatas” e pediu pena máxima a todos no fim de sua manifestação, enquanto exibia a foto de Bernardo, desta vez sorrindo, na tela.