Sete dias: “Estamos investigando firmemente o caso”, afirma delegado - ClicRDC | Notícias de Chapecó e do mundo

Sete dias: “Estamos investigando firmemente o caso”, afirma delegado

Foto: Willian Ricardo/ClicRDC

Sete dias após a tentativa de homicídio registrada no centro de Chapecó, a Divisão de Investigação Criminal (DIC), da Polícia Civil, segue com as investigações do caso, mas sem divulgar nenhuma informação detalhada. O crime aconteceu na segunda-feira (3), na rua Marechal Deodoro, quando uma a vítima, uma mulher de 48 anos, foi atingida por três tiros.

O delegado de polícia, Vagner Papini, chefe da investigação, disse que não serão repassados mais detalhes sobre a apuração criminal, a fim de não atrapalhar os trabalhos. “Vou divulgar somente depois que concluído. Inclusive, estamos investigando firmemente esse caso”, comentou.

Papini adiantou que até esta segunda-feira, não houve novas prisões. Por via de regra, conforme a Lei, o inquérito criminal deve ser encerrado em 10 dias. No entanto, “será instaurado um novo procedimento a partir daquele, para apurar o envolvimento de outras pessoas”, afirma o delegado, que tem 30 dias para finalizar este novo documento.

Suspeito

Derlis Ramon Gimenez Lesmo, de 30 anos, natural do Paraguai, foi preso cerca de 20 minutos após o crime, com uma pistola 765 e 16 munições.

No dia seguinte ao crime, na terça-feira (4), Lesmo passou por audiência de custódia no Fórum da Comarca de Chapecó e teve a prisão preventiva decretada. Já na quarta-feira (5), a juíza  Ana Karina Arruda Anzanello, da 2ª Vara Criminal autorizou a quebra de sigilo telefônico dos dois Smartphones apreendidos com o paraguaio.

O delegado Papini afirma que Lesmo permanece preso no Complexo Prisional de Chapecó, mas já foi ouvido outras vezes pela Polícia Civil.

O Consulado do Paraguai, no Brasil, com sede em Foz do Iguaçu/PR, foi informado sobre a prisão de Derlis em Chapecó. No país vizinho há um mandado de prisão em aberto contra ele por homicídio.

A vítima

A vítima, que teve a identidade preservada, permanece internada no Hospital Unimed, em Chapecó. Por opção da família, a unidade não foi autorizada divulgar informações sobre o estado de saúde da mulher, de 48 anos. Ela foi atingida por três disparos de arma de fogo na cabeça.


Comentários do Facebook