Acusado da morte de Fabiana Fávero é condenado a 28 anos de prisão em Chapecó - ClicRDC | Notícias de Chapecó e do mundo

Acusado da morte de Fabiana Fávero é condenado a 28 anos de prisão em Chapecó

Pedro Fávero cometeu o crime em 2017; no julgamento ele pediu desculpas à sogra, ao filho e à família dele

Foto: Elizandra Gomes/TJSC

Pedro Fávero foi condenado a 28 anos e quatro meses de reclusão, em regime fechado, e seis meses de detenção em regime semiaberto, pela morte de sua companheira, Fabiana Diavan Fávero, em julho de 2017. O julgamento aconteceu nesta sexta-feira (29), no fórum da Comarca de Chapecó (SC). Fabiana foi morta a facadas no peito e pescoço. A ele foi negado o direito de recorrer em liberdade e, como estava preso preventivamente desde o crime, permanece no Presídio Regional de Chapecó.

A sessão se estendeu por mais de 14 horas. Os jurados, quatro mulheres e três homens, reconheceram as qualificadoras de feminicídio, motivo fútil, meio cruel e uso de recursos que dificultaram a defesa da vítima, para o crime de homicídio (24 anos). O acusado também foi condenado por ocultação de cadáver (um ano), fraude processual (seis meses), furto qualificado (um ano e quatro meses) e porte ilegal de arma de fogo (dois anos). O réu foi absolvido pelo crime de posse irregular de munição de uso restrito.

 Interrogatório

Após aproximadamente quatro horas de oitivas de 17 testemunhas arroladas durante o processo, chegou o momento de ouvir o réu. Foram mais de uma hora de perguntas direcionadas ao acusado. Ele contou como aconteceu o crime. A discussão teria sido motivada por ciúmes, já que ela revelou desejo de separação e o envolvimento amoroso com outro homem. Ao final, ele se disse arrependido e pediu desculpas à sogra, ao filho e à família dele. Todos estiveram presentes durante toda a sessão.

Crime

A investigação apurou que a mulher foi assassinada por volta das 18h do dia 4 de julho de 2017. Ela foi atingida por golpes de faca no lado esquerdo do peito e no pescoço. O corpo foi encontrado por familiares em torno das 12h do dia seguinte, dentro de um armário onde o homem guardava armas, em uma sala oculta do apartamento.

Após cometer o crime, segundo apurou a investigação, o Pedro fugiu com um carro de um cliente. Ele se envolveu em um acidente e abandonou o carro no Paraná. O acusado conseguiu chegar ao Paraguai e depois de 30 horas de negociação com a Polícia ele se entregou. Desde então permanece preso preventivamente.

Fávero foi julgado pelo crime de homicídio qualificado, com quatro qualificadoras: feminicídio, motivo fútil, meio cruel e recursos que dificultaram a defesa da vítima. O acusado também foi julgado pelos crimes de ocultação de cadáver, fraude processual, furto qualificado, posse irregular de munição de uso restrito e porte ilegal de arma de fogo.

Com faixas exposta na frente do fórum, familiares e amigos de Fabiana acompanham o julgamento, que iniciou às 8h. Eles estavam vestidos com camisetas brancas, estampadas com a foto da vítima, que foi morta aos 37 anos, no apartamento em que vivia com o acusado.


Foto: Diego Antunes/ClicRDC

Comentários do Facebook