“Eu não tive participação alguma nas decisões”, diz Vice-Governadora Daniela sobre gestão de Moisés

Daniela reforçou que não concordava com as indicações que estão envolvidas no caso dos respiradores

Imagem Reprodução Facebook

Na manhã de sexta-feira (19), em entrevista exclusiva ao ClicRDC, a Vice-governadora Daniela Cristina Reinehr falou sobre as ações tomadas pelo Governador do Estado de Santa Catarina em enfrentamento ao coronavírus. A vice-governadora ressaltou também como está a relação com o governador e disse que não teve poder participação nas decisões da gestão. 

De acordo com Daniela, o isolamento foi muito além do necessário e fez com que a crise de saúde se tornasse uma crise econômica, social, política e moral no estado, o que trouxe um prejuízo para todos os catarinenses e, principalmente, para a economia do estado.


“Essa dificuldade de ir e vir, não é uma coisa que o estado dispõe e é uma interferência que o estado não deve fazer. Eu sempre acreditei que nós devíamos trabalhar com campanha de prevenção, usar a máscaras desde o início, trabalhar com o isolamento dos doentes e não generalizado, fazer barreiras sanitárias nos municípios com contágio, acelerar o processo para adquirir leitos de UTI”, destacou Daniela.


Questionada referente a relação entre a vice-governadora e governador, Daniela falou que existe uma dificuldade muito grande – fato que ocorre desde o início, quando a chapa assumiu o governo do estado. “Eu não tive participação alguma nas decisões, eu mandava minha opinião e meu posicionamento e não foi respeitado e nem sequer considerado. Hoje existe uma dificuldade muito grande de relação com o governador, não só de minha parte”, disse.

Imagem Reprodução Facebook

“De minha parte essa relação entre o governador e eu começou logo depois da transição pois eu não concordava com algumas coisas, com alguns nomes que foram indicados para o governo, e também não concordei com a forma que se tratou os cidadãos até mesmo o presidente da república, houve um distanciamento da parte dele daquilo que a prometemos para Santa Catarina, e eu me mantive sempre fiel e busquei resgatar o nosso comprometimento com o estado, o plano que o povo de SC elegeu como sendo o melhor para o estado”, destacou a Vice.


Segundo Daniela, pela primeira vez,Santa Catarina teria a possibilidade de estar alinhada com o Governo Federal –  o que traria muitos benefícios ao estado. “Lá atrás, teve a questão dos incentivos fiscais aos defensivos agrícolas, que eu me manifestei contrária ao aumento dos impostos. Fui a público e consegui reverter a situação e a partir dali essa relação se tornou ainda mais difícil”, destacou. 


 “Eu acredito que houve um desgaste na relação entre a gente, a gestão é do governador e eu sempre me importei, fui firme quando precisou ser, sempre tomei meus posicionamentos, mas eu sou o “backup”, quem faz a gestão é o governador, e infelizmente eu gostaria de ser mais ouvida, gostaria de ter minhas opiniões consideradas até porque elas são fundamentais”, falou Daniela.


Foto: Marcos Corrêa/ Presidência da República

A vice-governadora citou que o que fez a chapa se unir para disputar as eleições foi uma aparente afinidade entre as duas partes com as propostas do presidente Jair Bolsonaro, proposta que ainda defende. “ Eu sempre digo que o presidente Bolsonaro foi a personificação das minhas esperanças,de fazer um governo diferenciado, focado no combate à corrupção fomentando todo o potencial do estado e do país […], e infelizmente o governador não seguiu esse caminho, aí o afastamento acabou sendo natural”, ressaltou. 

“No momento em que começaram a aparecer suspeitas, que indicavam para tudo aquilo que a gente se comprometeu a evitar, e eu não tive dúvidas que eu precisava combater aquela situação, como eu fiz e pedi o cancelamento do contrato com o hospital de campanha, e infelizmente isso não foi visto como um aviso, mas foi visto como algo ilegítimo da minha parte e tornou o afastamento ainda maior”, disse a Vice-governadora.


Questionada referente a discordância entre governador e vice-governadora na nomeação de pessoas para compor o governo do estado, a parlamentar citou que foi contra a nomeação dos envolvidos no caso dos respiradores desde o início que a chapa assumiu o governo do estado. 

“Sim, sim, foram essas pessoas que eu fui contra a indicação dos nomes desde o início, não só essas mas como outras também”, destacou Daniela.  

O Governador Carlos Moisés, diz desconhecer afirmações de Daniela.

Divulgação Coletiva Governo SC

Segundo Daniela, nesse momento, é preciso unir as mentes pensantes do estado, o que inclui todos os representantes do povo catarinense, para que se tenha uma recuperação econômica urgente. “Em relação a pandemia eu peço para as pessoas focarem muito na prevenção, focar no uso de máscaras, nos cuidados da higiene, seja individual ou coletivo […]”, finalizou a Vice-governadora.

Confira a entrevista na íntegra