Buligon é destituído da presidência do PSL em Chapecó e pré-candidato a prefeito fala em ‘golpe’

Convenção partido Patriota em Chapecó – Foto: Leonardo Vassoler/ClicRDC

Na noite desta quarta-feira (16), o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon foi destituído da presidência municipal do Partido Social Liberal (PSL). Em nota enviada ao ClicRDC, o pré-candidato a prefeito de Chapecó pelo Patriota, o empreendedor Leonardo Granzotto disse que a ação do partido foi um ‘golpe’, articulado por políticos que colocam os projetos pessoais acima dos interesses de Chapecó. Na última terça-feira (15), o PSL e o Patriotas lançaram Leonardo Granzotto como pré-candidato a prefeito e Vanuza Maggioni como pré-candidata a vice-prefeita.

No documento assinado pelo deputado federal e presidente do PSL em Santa Catarina, Fábio Schiochet, a destituição de Buligon aconteceu devido ao descumprimento de ‘determinações partidárias’.


Foto: Divulgação

Segundo Leonardo Granzotto, Chapecó teria virado moeda de troca no rito do impeachment do governador Carlos Moisés, que terá a votação na quinta-feira (17).

“Chapecó virou moeda de troca para salvar o governo do Estado do impeachment que será votado amanhã. O golpe foi articulado pelos políticos que colocam seus projetos pessoais acima dos interesses da nossa cidade. Conclamo a sociedade que reaja a essa canalhice com o povo de Chapecó que quer uma candidatura alinhada com a ética e a transparência. Amanhã ao meio dia faremos uma coletiva para maiores esclarecimentos. Meu total reconhecimento ao prefeito Buligon que se aliou ao nosso projeto de corpo e alma, rechaçando qualquer acordo que não coloque Chapecó em primeiro lugar”, declarou Leonardo Granzotto.