Homens são detidos após aglomeração e ameaça contra policiais em Chapecó

O fato ocorreu na tarde de domingo (28)


Dois homens foram detidos, na tarde de domingo (28), após aglomeração, desobediência e infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa, além de perturbação do trabalho ou sossego alheio. O fato ocorreu na rua João Batista Dal Piva, no bairro Belvedere, em Chapecó.

Segundo a Polícia Militar, ao chegar no local foi flagrado som alto, algazarra, consumo de bebida alcoólica e aglomeração de pessoas em uma residência. Os policiais ainda relataram que foi solicitado que desligasse o som e que dispersassem a aglomeração, mas não foi obedecido. Uma mulher veio até o os policiais e informou que estavam fazendo uma festa e que não iriam parar só por que os vizinhos tinham chamado a PM. Foi dado a ordem para desligar o som e que as pessoas não residentes do local se retirassem, o que não foi acatado. 

Ainda de acordo com a PM, dois homens de 39 e 40 anos falaram aos policiais que não iriam desligar som e que poderia vir cinco viaturas que nada iria mudar e o som não iria parar. Diante dos fatos foi dado voz de prisão aos homens pelas infrações penais. 

Segundo relato dos policiais os dois homens acompanhados de mais pessoas que estavam presentes no local impediram a apreensão do som, com cadeiras e garrafas em tom de ameaça a guarnição, e levaram o som para dentro da residência.

Segundo o relatório da PM, foi solicitado o apoio de mais viaturas, ao chegarem no local os policiais adentraram a residência para apreender o som e foram recebidos com empurrões e tentativas de agressão física. Foi necessário o uso do espargidor de pimenta para controlar as pessoas. 

O homem de 39 anos,  mesmo após diálogo e controle de contato permaneceu alterado e continuou resistir a prisão, foi necessário o uso moderado da força para algemá-lo, o que causou lesões nas mãos do SD da PM. Já o outro homem de 40 anos,  tentou impedir a prisão com empurrões aos policiais. 

Após controlada a situação foi oferecido o termo circunstanciado aos homens que preferiram não assinar, desse modo foram encaminhados até a Delegacia de Polícia Civil. Ao chegar na frente da Delegacia os envolvidos pediram para assinar o termo e comprometeram-se a comparecer em audiência em data, hora e local marcados.