Bebê de um mês morre em Chapecó

Segundo informações da PM, a criança apresentava hematomas na face e suspeita de fraturas na cabeça

Foto: ClicRDC

Atualizada às 19h51

Um bebê, de um mês, morreu em uma residência na rua Aguir Fernandes Durel, no bairro Efapi, em Chapecó (SC). O fato aconteceu por volta das 15h35, desta terça-feira (23). Segundo informações da Polícia Militar (PM), a criança apresentava hematomas na face e suspeita de fraturas na cabeça. A Polícia Civil e o Instituto Geral de Perícias (IGP) foram acionados para investigar o caso.

Conforme o relato da PM, os policiais foram acionados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), para apoio a ocorrência.  Uma mulher pedia por socorro, pois, um bebê de um mês de vida estaria engasgado e não apresentava sinais vitais. A guarnição mais próxima do fato foi encaminhada ao local.

Na casa, os policiais encontraram a criança deitada em um ‘bebê-conforto’, com muitas roupas e com uma touca na cabeça. Ela apresentava pele muito branca e não tinha sinais vitais, tendo ainda alguns hematomas na face.

Segundo a PM, os policiais desobstruíram as vias aéreas da criança e perceberam que havia grande quantidade de leite no interior da via aérea do bebê. Os agentes começaram a fazer a manobra de Heimlich, mas não obtiveram sucesso. Manobras de reanimação foram realizadas pelos policiais, até a chegada da equipe do Samu, que assumiu a ocorrência.

Após inúmeras tentativas de reanimação pela equipe Samu, foi confirmado o óbito do bebê. Além dos hematomas na face, a bebê também apresentava suspeita de fraturas na cabeça. Conforme a PM, diante dos fatos, a Polícia Civil e o Instituto Geral de Perícias (IGP) foram acionados e realizaram perícia no local. O corpo do bebê foi recolhido para realizar o exame de corpo de delito. A mãe da criança e uma amiga dela foram conduzidas a delegacia para prestar depoimento.

A PM informou que a mãe do bebê relatou aos policiais militares, que deu de mamar para a criança, foi até a casa da amiga com ela e a colocou para repousar no bebê-conforto. Ela foi buscar o outro filho de dois anos e, após cerca de 30 minutos ouviu sua amiga gritar. Ela correu o local onde o bebê estava e percebeu que ele não respirava e não apresentava mais sinais vitais.

Para a PM, a amiga disse que estava na casa de sua mãe, quando a mulher com o bebê chegou na residência. Ela deixou a criança aos seus cuidados. Algum tempo depois, ela foi verificar a criança e percebeu que ela não respirando, estava pálida. A amiga acionou o Samu e correu em direção a mãe da criança para chama-la.


Foto: ClicRDC