Inicia nesta semana campanha de vacina contra a Influenza - ClicRDC | Notícias de Chapecó e do mundo

Inicia nesta semana campanha de vacina contra a Influenza

(Foto: Prefeitura de Chapecó/Divulgação)

A Campanha Nacional de Vacinação Contra Influenza (gripe) acontecerá de 10 de abril a 31 de maio de 2019, sendo o dia 04 de maio, o dia de mobilização nacional. As vacinas são disponibilizadas em Chapecó, nos 26 Centros de Saúde da Família, das 7h30 às 11h30 e das 13 às 17 horas. A meta em Chapecó é vacinar 59.232 pessoas. A abertura oficial em Chapecó será na quarta-feira (10), as 09 horas no Centro de Saúde da Família Oeste, no bairro São Cristóvão.

No período de 10 a 12 de abril, na região sul do país serão mobilizados os grupos prioritários de crianças, gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto), para a vacinação contra influenza e, na ocasião, também ocorrerá a atualização da Caderneta de Vacinação com a oferta das demais vacinas do Calendário Nacional de Vacinação. Já no período de 15 a 19 de abril, em todo o país, serão mobilizados os grupos prioritários de crianças, gestantes e puérpera para a vacinação contra influenza e, na ocasião, também ocorrerá a atualização da Caderneta de Vacinação com a oferta das demais vacinas do Calendário Nacional de Vacinação. A partir de 22 de abril, a vacinação contra influenza ocorrerá com a mobilização de todos os grupos prioritários em todo o país e, na ocasião, também ocorrerá a atualização da Caderneta de Vacinação da criança, da gestante e da puérpera que não compareceram no período inicial da campanha, prevista para estes grupos, com a oferta das demais vacinas do Calendário Nacional de Vacinação.

Nesta campanha, além de indivíduos com 60 anos ou mais, serão vacinadas as crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas, trabalhadores da saúde, professores das escolas públicas e privadas, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais e também podendo causar pandemias1. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz.

A vacina

A vacinação contra influenza mostra-se como uma das medidas mais efetivas para a prevenção da influenza grave e de suas complicações. As vacinas utilizadas nas campanhas nacionais de vacinação contra a influenza são trivalentes que contêm os antígenos purificados de duas cepas do tipo A e uma B.

As vacinas da influenza sazonais são bem toleradas e seguras, constituídas por vírus inativados, não contêm vírus vivos e não causam a doença. O mais comum são as reações locais, como dor no local da injeção, eritema e enduração que ocorrem em até 20% dos casos, resolvidos em 48 hs. Reações sistêmicas como febre, mal estar e mialgia, podem começar de 6 a 12h após a vacinação e persistir por um a dois dias, identificadas em menos de 10% dos vacinados.

Pessoas com história de anafilaxia em doses anteriores a componentes da vacina, recomenda-se realizar avaliação médica criteriosa sobre benefício e risco da vacina antes da administração de uma nova dose e se indicada realizar o procedimento sob observação.

Dicas:

Manter os ambientes ventilados
Lavar bem as mãos
Uso do álcool em gel
Uso de copo individual (em escolas e locais de grande circulação de pessoas)
Ter hábitos de vida saudável: praticar atividades físicas, alimentação balanceada e tomar bastante líquido.
Etiqueta da tosse: ao tossir ou espirrar, usar o braço e não as mãos.
Não se medicar… Em caso de sintomas, procurar atendimento médico, na unidade de saúde mais próxima.