Chapecó registra os primeiros casos suspeitos de coronavírus

A Secretaria da Saúde informou que a suspeita são de duas pessoas da mesma família que são monitoradas

A Secretaria de Saúde acompanha uma família chapecoense que retornou de viagem da Itália, na última quarta-feira (26). Quatro pessoas viajaram e duas delas estão com sintomas similares ao Coronavírus, uma mulher de 42 e uma menina de 10 anos.

Leia também: “Não há motivos para se preocupar”, diz Saúde de Chapecó sobre casos de coronavírus

O material biológico da família foi coletado e encaminhado ao laboratório de referência em Florianópolis. O Município aguarda resultado dos exames, que devem sair nos próximos dias.

A Secretaria informou que trata-se de suspeita de coronavírus e os pacientes são monitorados pelas equipes de saúde. Trata-se de uma medida preventiva, conforme orientação do Protocolo do Ministério da Saúde, para que se mantenha controle de possíveis contágios de doença respiratória.

A família foi orientada quanto aos cuidados e está em quarentena domiciliar, conforme prevê o Protocolo do Ministério da Saúde. Conforme a Secretaria de Saúde, a população não precisa ficar alarmada, mas é importante os cuidados.

Casos no estado

Dados atualizado, na tarde desta segunda-feira (2), elevaram de nove para 36 os casos suspeitos de coronavírus em Santa Catarina. A plataforma do Ministério da Saúde, onde são informados os casos da doença, foi atualizada às 16h. No país todo, são 433 casos suspeitos e dois confirmados para o novo vírus.

O secretário da saúde do Estado, Helton Zeferino comentou sobre o aumento de casos suspeitos em Santa Catarina.



O QUE É O NOVO CORONAVÍRUS – COVID-19?

É um novo vírus que tem causado doença respiratória pelo agente Coronavírus, com registro dos primeiros casos na China e disseminação em diversos países. Geralmente, infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum.

TRANSMISSÃO

As investigações sobre transmissão do novo Coronavírus ainda estão em andamento, mas sabe-se que a disseminação por contato está ocorrendo. A transmissão costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:
• gotículas de saliva;
• espirro;
• tosse;
• catarro;
• contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;
• contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

SINTOMAS

Os sintomas são semelhantes a um resfriado: febre, dor de garganta, tosse e dificuldade para respirar. Casos mais graves podem evoluir para infecções do trato respiratório inferior, como as pneumonias.

Os casos suspeitos e que precisam ser investigados são: pacientes com febre, mais um sintoma respiratório e que tenham viajado nos últimos 14 dias, antes do início da manifestação dos sintomas, para área com transmissão local, de acordo com a OMS – Organização Mundial da Saúde – Alemanha, Austrália, Camboja, China, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Emirados Árabes Unidos, Filipinas, França, Irã, Itália, Japão, Malásia, Singapura, Tailândia, Vietnã. Incluem-se também pessoas que tiveram contato com casos suspeitos ou confirmados para o novo Coronavírus.

MEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLE

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo Coronavírus. Entre as medidas estão:
• Lavar as mãos frequentemente com água e sabão e usar álcool em gel sempre que possível;
• Manter ambientes arejados;
• Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
• Evitar contato próximo com pessoas doentes;
• Ficar em casa quando estiver doente;
• Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
• Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
A Pasta recomenda que, caso você tenha viajado para um local com risco de transmissão e/ou tenha tido contato com alguém que viajou e apresente algum sintoma respiratório, deve procurar um serviço de saúde.