Chapecó abaixo de zero: Veja como foi a nevasca histórica que atingiu a cidade em 1965

Em uma quinta-feira de agosto, chapecoenses acordaram com os primeiros flocos de neve de um fenômeno que durou um dia

No dia 21 de agosto de 1965, registro da família Marafon durante a neve histórica, em Chapecó. Foto: Acervo/Zolet

Embora Santa Catarina seja conhecida por registrar neve durante o inverno – principalmente entre os municípios de Bom Retiro e Urubici, no planalto serrano – o fenômeno climático é bastante raro em Chapecó. Em agosto de 1965, há 55 anos, o município foi atingido por uma nevasca histórica e os chapecoenses puderam experienciar a serra catarinense por um dia.

Pouco antes da nevasca, também no mês de agosto, Chapecó foi atingida por uma das maiores enchentes da história – quando o Rio Uruguai transbordou e devastou comunidades ribeirinhas que viviam às margens dele. No dia 19, uma quinta-feira, os primeiros flocos de neve começaram a cair ao amanhecer em Chapecó. A nevasca continuou até a sexta-feira (20) – momento em que registros fotográficos da cidade coberta por neve foram feitos e entraram para a história. 


Depois da  nevasca de 1965, outros indícios do fenômeno chegaram a ser registrados em Chapecó, mas nada tão intenso quanto este. A situação mais recente foi em junho de 2013, os Chapecoenses puderam ver a neve novamente, porém de forma rasa e sem acúmulo como no passado distante de Chapecó.

Frio histórico no Oeste catarinense

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Centro de Memória do Oeste de Santa Catarina (CEOM) da Unochapecó, durante as décadas de 40 e 60, várias cidades da região registraram  temperaturas abaixo de zero. Em junho de 1945, Xanxerê marcou -11ºC, segundo dados divulgados pela Defesa Civil do estado.


Chapecó 103 anos em 103 imagens tem o apoio de:
Aurora
Sicoob Maxicrédito
DVA Mercedes Benz
Nostra CasaLoeste
Instituto Mix
CooperAlfa
Boa Visão Imóveis
Kumon