OUÇA AO VIVO

InícioGestão & NegóciosImpacto da legalização de cassinos e jogos de azar na gestão e...

Impacto da legalização de cassinos e jogos de azar na gestão e negócios no Brasil

Confira a coluna do Doutor em Ciências Contábeis e Administração, Givanildo Silva

Foto: ClicRDC

A recente aprovação pela Comissão de Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado do projeto de lei que autoriza a legalização de cassinos, bingos, jogo do bicho e apostas em corridas de cavalos no Brasil marca um ponto decisivo para a economia e o ambiente de negócios do país. A proposta, que agora segue para votação no Plenário, promete transformar diversos setores e trazer impactos significativos para a gestão e os negócios.

Investimentos e geração de empregos

O relator do projeto, senador Irajá (PSD-TO), destaca que a legalização dos jogos de azar pode atrair investimentos da ordem de R$ 100 bilhões, além de gerar cerca de 1,5 milhão de empregos diretos e indiretos. Este influxo de capital e a criação de empregos são vistos como catalisadores para o desenvolvimento econômico, especialmente em regiões turísticas onde cassinos poderiam ser instalados.

- Continua após o anúncio -

Crescimento econômico e turístico

A regulamentação dos jogos de azar é apontada como um fator potencial para impulsionar o turismo, uma vez que muitos turistas são atraídos por destinos com cassinos e opções de entretenimento associadas. Em países onde o jogo é regulamentado, como Estados Unidos e Reino Unido, observa-se um aumento no fluxo turístico e na receita associada. No Brasil, a expectativa é de que a indústria do turismo se beneficie com a criação de resorts integrados de lazer, promovendo um ciclo virtuoso de desenvolvimento econômico e social.

Controle e fiscalização

Um dos principais argumentos a favor da regulamentação é a possibilidade de trazer para a legalidade um setor que já movimenta bilhões de reais na clandestinidade. A legalização permitiria um controle estatal mais rigoroso, mitigando vínculos entre jogos de azar e atividades criminosas. Com a tecnologia disponível, como sistemas de auditoria e controle, é possível garantir uma fiscalização eficiente e reduzir a sonegação de impostos.

Desafios e riscos

Entretanto, o projeto não está isento de críticas. Parlamentares e especialistas apontam para os riscos associados à ludopatia, um transtorno mental relacionado ao vício em jogos, que pode trazer sérias consequências sociais e de saúde pública. Estudos indicam que a prevalência de transtornos relacionados ao jogo tende a aumentar com a maior disponibilidade de oportunidades de aposta.

Além disso, há preocupações sobre a possível ligação entre a legalização dos jogos e o aumento da criminalidade. Críticos argumentam que, em países onde o jogo é legalizado, há desafios constantes para evitar a sonegação e o envolvimento de máfias no setor.

Tributação e arrecadação

O projeto também estabelece novos tributos, como a Taxa de Fiscalização de Jogos e Apostas (Tafija) e a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide-Jogos), que visam gerar arrecadação significativa para o Estado. Estima-se que a arrecadação anual possa atingir R$ 22 bilhões, destinados a estados, municípios e à União, contribuindo para áreas essenciais como saúde, educação e infraestrutura.

A legalização dos cassinos e outros jogos de azar no Brasil traz um conjunto complexo de benefícios e desafios. Se por um lado há um potencial significativo de investimentos e desenvolvimento econômico, por outro, há riscos associados à saúde pública e à segurança. A implementação eficaz das medidas de controle e fiscalização será crucial para garantir que os benefícios superem os malefícios, promovendo um ambiente de negócios mais transparente e sustentável no país.

Publicidade

Notícias relacionadas

SIGA O CLICRDC

146,000SeguidoresCurtir
103,500SeguidoresSeguir
55,600SeguidoresSeguir
12,800InscritosInscreva-se