Tragédia aérea da Chapecoense vai virar livro

Lançamento está previsto para o início de 2020

Foto: Reprodução

O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon e o jornalista, Paulo Hoeller, vão lançar um livro sobre o acidente aéreo com o “voo da Chapecoense” no ano de 2016. O lançamento está previsto para o início de 2020.

No programa Golaço, da Rádio Oeste Capital, o prefeito de Chapecó falou sobre a obra. “Trata-se, basicamente, da relação que se estabeleceu entre os municípios de Chapecó e Medellín pos o acidente. O efeito de solidariedade, a aproximação e mudança de relação entre os povos”, disse.

Luciano Buligon destacou o acidente aéreo de 2016. “É uma história da nossa cidade, criada a partir de um evento muito triste que trouxe muitos ensinamentos: de valores, solidariedades, amor e abraços”, ressaltou o prefeito.

O livro com o nome de “Chapecó e Medellín: unidas para sempre”, vai ter 230 páginas. O prefácio vai ser assinado pelo ex-embaixador do Brasil da Colômbia, Júlio Bitelli.

O jornalista Paulo Hoeller falou sobre a obra. “Além de um relato, destaca as facetas humanas e afetivas que aproximaram as duas cidades”.

Outra particularidade do livro é que ela é narrada por Luciano Buligon. “O livro não se restringe ao acidente. Temos lições em Chapecó, na Colômbia, do relacionamento”, destacou o jornalista.

Todo o lucro das primeiras mil unidades da obra serão revertido a Fundação Vida – organização que da suporte às famílias das vítimas do acidente aéreo.