OUÇA AO VIVO

InícioEleições 2024Eleições 2024: conheça as etapas de auditoria da urna eletrônica

Eleições 2024: conheça as etapas de auditoria da urna eletrônica

Antes, durante e após o pleito, há dezenas de oportunidades de auditar a urna e os sistemas correlatos

Foto: Divulgação TSE

Você sabia que a Justiça Eleitoral oferece dezenas de possibilidades para que a eleitora e o eleitor possam auditar a urna eletrônica e os sistemas eleitorais? Isso ocorre antes, durante e depois do pleito. Neste ano, durante as Eleições Municipais 2024, não será diferente.

Conforme a Resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nº 23.673/2021, a auditoria é o exame sistemático que verifica se os softwares (programas de computador) estão implementados de acordo com as normas e os procedimentos legais. O objetivo principal é checar se eles estão funcionando normalmente.

Confira, a seguir, as principais etapas de auditoria dos sistemas eleitorais.

- Continua após o anúncio -
Foto: Alejandro Zambrana/Secom/TSE - Inspeção código-fonte, TPS 2023 - 09.10.2023

Entidades fiscalizadoras

O código-fonte da urna é um conjunto de instruções às quais os sistemas eleitorais, desenvolvidos pelo TSE, obedecem e que determina como um programa vai funcionar. Ele permanece aberto à fiscalização até as vésperas da Cerimônia de Assinatura Digital e Lacração dos sistemas, que ocorre pouco antes das Eleições 2024.

A abertura do código-fonte das urnas eletrônicas e dos sistemas eleitorais às entidades fiscalizadoras reafirma o compromisso da Justiça Eleitoral com o fortalecimento da democracia brasileira e com as eleitoras e os eleitores do Brasil. Para as Eleições 2024, a abertura ocorreu durante a inauguração do Ciclo de Transparência Democrática, em outubro de 2023 – ou seja, mais de um ano antes do pleito.

Quem pode analisar o código-fonte?

  • partidos políticos, federações e coligações;
  • Ordem dos Advogados do Brasil;
  • Ministério Público;
  • Congresso Nacional;
  • Controladoria-Geral da União;
  • Polícia Federal;
  • Sociedade Brasileira de Computação;
  • Conselho Federal de Engenharia e Agronomia;
  • Conselho Nacional de Justiça;
  • Conselho Nacional do Ministério Público;
  • Tribunal de Contas da União;
  • Confederação Nacional da Indústria, demais integrantes do Sistema Indústria e entidades corporativas pertencentes ao Sistema S;
  • entidades privadas brasileiras, sem fins lucrativos, com notória atuação em fiscalização e transparência da gestão pública, credenciadas no TSE; e
  • departamentos de tecnologia da informação de universidades credenciadas no TSE.

É importante destacar que a análise do código-fonte, mediante agendamento prévio, dá também acesso a todo o conjunto de softwares da urna eletrônica.

Foto: Alejandro Zambrana/Secom/TSE - Falta um dia para o Teste de Confirmação - 14.05.2024

Teste da Urna

Teste Público de Segurança da Urna (TPS) é um evento permanente do calendário da Justiça Eleitoral que visa aprimorar os sistemas eleitorais, mediante a participação e a colaboração de especialistas em Tecnologia da Informação, para testar publicamente a segurança dos equipamentos que coletam o voto do eleitorado. A edição mais recente ocorreu de 27 de novembro a 2 de dezembro de 2023 e contou com a participação de 33 investigadoras e investigadores, que executaram 35 planos.

Teste de Confirmação

É a etapa em que grupos de investigadores que participaram da primeira fase do Teste Público de Segurança da Urna retornam ao TSE para verificar se as contribuições que deram para o aprimoramento das urnas eletrônicas e dos sistemas eleitorais foram adotadas. Em 2024, o Teste de Confirmação ocorreu de 15 a 17 de maio.

Teste de Autenticidade

Teste de Autenticidade dos Sistemas Eleitorais é o evento de auditoria de verificação de autenticidade dos sistemas eleitorais instalados nas urnas eletrônicas. Ele ocorre por amostragem e é realizado no dia da votação.

Entre as medidas de verificação, estão:

  • rompimento do lacre, retirada e reinserção da mídia de resultado;
  • verificação das assinaturas e dos resumos digitais por programa do TSE;
  • retirada das mídias de acionamento dos sistemas de verificação;
  • lacração da tampa do compartimento da mídia com novo lacre;
  • lavratura da ata circunstanciada de encerramento dos trabalhos, entre outros.

Nesse teste, as seções eleitorais envolvidas são selecionadas por sorteio, em cada unidade da Federação.

Teste de Integridade das Urnas Eletrônicas no CCSP - Eleições 2022 - TRE-SP

Teste de Integridade

Teste de Integridade das Urnas Eletrônicas é a ocasião em que se realiza a auditoria de verificação de funcionamento das urnas eletrônicas em condições normais de uso. Ele ocorre no mesmo dia e horário da votação oficial, em ambos os turnos, e simula uma votação normal, em ambiente controlado. O objetivo é verificar se o voto depositado é o mesmo contabilizado pela urna.

Teste de Integridade com Biometria

Teste de Integridade com Biometria é feito com o emprego das impressões digitais de eleitoras e eleitores voluntários convidados, depois de eles terem participado da votação oficial. A testagem é aplicada em todas as capitais brasileiras, e os locais são definidos até dez dias antes da votação, contendo no mínimo 5% e no máximo 10% do total de urnas destinadas ao Teste de Integridade.

Zerésima

Zerésima é o relatório emitido pela urna eletrônica antes do início da votação que comprova que não existe nenhum voto registrado no equipamento. Ou seja: atesta que, naquela urna eletrônica, havia zero voto antes de começar a votação – daí o nome. Após a impressão, os presentes devem assinar o documento, incluindo o presidente da mesa receptora, os mesários e os fiscais de partidos políticos. Só então começa a votação.

Boletim de Urna

Boletim de Urna é o documento digital ou impresso que contém os resultados da urna eletrônica, ou seja, o número de votos que cada candidata ou candidato recebeu naquela seção eleitoral. O relatório é impresso após o encerramento da votação e afixado na porta da seção para conhecimento público. Ele também possui um QR Code que pode ser lido com a câmera do celular por meio do app Boletim na Mão.

Resultados

Os dados dos Boletins de Urna também podem ser utilizados para a conferência dos resultados das eleições. O TSE disponibiliza um site exclusivo para a eleitora e o eleitor acompanharem a totalização do pleito. Depois de totalizados, os votos são disponibilizados na versão web ou no aplicativo disponível nas lojas virtuais e que pode ser instalado gratuitamente em qualquer dispositivo móvel.

Por TSE

Publicidade

Notícias relacionadas

SIGA O CLICRDC

146,000SeguidoresCurtir
103,500SeguidoresSeguir
55,600SeguidoresSeguir
12,800InscritosInscreva-se