Resultado da segunda pesquisa eleitoral à Prefeitura de Chapecó do Grupo Condá de Comunicação é divulgado

Veja o resultado

Chapecó tem sete candidatos á Prefeitura de Chapecó; Foto: ClicRDC

Esses são os resultados da segunda pesquisa contratada pelo grupo Condá de Comunicação de Chapecó, realizada pelo Instituto Mapa de Santa Catarina – empresa que dispensa apresentações, pelos 29 anos de atuação no mercado e pela larga experiência na formulação de pesquisas.

Assunto, aliás, que foi objeto de uma matéria sobre pesquisas eleitorais publicada no portal ClicRDC.

VAMOS AOS NÚMEROS

Após 27 dias da publicação da primeira pesquisa, essa segunda segue os mesmos parâmetros – dessa forma, apenas observamos os chamados “movimentos naturais”. Mesmo com o embalo da campanha, com o horário eleitoral gratuito, com ações como carreatas, reuniões e panfletagens – normais no período eleitoral, não houve mudanças significativas, senão vejamos:

João Rodrigues continua na liderança. Tinha, em 07 de outubro, 27% e agora figura com 35% – um aumento de 8 ter contribuído para diminuir a rejeição em torno do seu nome. Porque entendemos que os números são naturais? Por que, comparando-se o cenário ao da primeira pesquisa, não houve um fato novo. Essa segunda pesquisa registra o atual momento que vive o eleitor chapecoense, sem sobressaltos. Em nosso entendimento, dentro da normalidade esperada. Também não podemos deixar de comparar os números apresentados nestas duas pesquisas do Instituto Mapa, com os resultados apresentados pelo Instituto Paraná de Pesquisas – ambos com credibilidade reconhecida em nível nacional. Assim, em que pontos percentuais.

Cleiton Fossá, que na primeira pesquisa aparecia com 17% das intenções de voto, agora está com 22% – um crescimento de 5 pontos percentuais.

Cláudio Vignatti, que aparecia com 16%, agora está com 19%, crescendo assim 3 pontos percentuais.

Leonardo Granzotto, que na primeira pesquisa apareceu com 7%, nesta aumentou um ponto percentual, figurando agora com 8%.

Marcio Sander e Luciane Stobe mantiveram os mesmos 3% da pesquisa inicial.

O mesmo ocorre como o professor Antônio, que manteve seus 2%. Como a margem de erro é de 4,4 pontos para cima ou para baixo, façam suas contas.

Veja o gráfico com os números:

Foto: ClicRDC

REJEIÇÃO

Nessa fase da campanha, observar os números de rejeição é importante, pois eles também falam muito sobre o desempenho dos candidatos.

A primeira pesquisa trazia João Rodrigues com rejeição de 41% e agora 42% – um aumento de apenas 1 ponto.

Vignatti, que tinha 25%, agora aparece com 36% – um significativo acréscimo de 11 pontos percentuais na rejeição. Aqui, com certeza, pesa a questão de ser oposição ao governo Bolsonaro em uma região com predominância bolsonarista.

Cleiton Fossá, que aparecia com 5% na primeira pesquisa, agora fi gura com 6% – também um acréscimo de um ponto percentual.

Leonardo Granzotto, que tinha 5%, baixou um ponto percentual e agora aparece com 4%.

A rejeição a Marcio Sander, que já era baixa – 2%, agora caiu para 1%.

Luciane Stobe, que na primeira pesquisa aparecia com uma rejeição de 3%, agora aparece com 4%.

Professor Antônio, que tinha uma rejeição de 5%, caiu 4 pontos e agora aparece com 1%. Aqui, o jeito de “bom samaritano”, com simplicidade e humildade pode ter contribuído para diminuir a rejeição em torno do seu nome.

Por que entendemos que os números são naturais? Por que, comparando-se o cenário ao da primeira pesquisa, não houve um fato novo.

Essa segunda pesquisa registra o atual momento que vive o eleitor chapecoense, sem sobressaltos. Em nosso entendimento, dentro da normalidade esperada.

Também não podemos deixar de comparar os números apresentados nestas duas pesquisas do Instituto Mapa, com os resultados apresentados pelo Instituto Paraná de Pesquisas – ambos com credibilidade reconhecida em nível nacional.

Assim, em que pese a diferença de alguns índices, os resultados se aproximam muito, e as variações são decorrentes de metodologia empregada por um ou outro instituto, mas que acabam se corroborando.


Foto: ClicRDC

Comparação entre as pesquisas

Foto: ClicRDC

RETA FINAL

E os últimos 15 dias de campanha? Poderemos ter este mesmo cenário se repetindo até a eleição, ou haverá alguma alteração significativa, caso ocorram fatos novos? Que fatos seriam estes?

Na reta final haverá, com certeza, movimentos políticos de aglutinação em torno de um ou outro candidato. Consideremos também o velho, famoso e infeliz voto útil. Persiste a máxima de que “ninguém gosta de perder seu voto…”.

O que o futuro nos reserva, caro leitor? João Rodrigues com uma votação recorde? Fossá ou Vignatti conseguindo agregar apoios e virando o jogo? Leonardo Granzotto e Márcio Sander despontando com alguma carta na manga? Um infeliz escândalo como o de Florianópolis?

Só os próximos dias dirão. E para entender o cenário futuro, a terceira pesquisa já está devidamente contratada pelo grupo Condá. traremos a você, leitor do jornal ou do portal ClicRDC, ouvinte das rádios CONDÁ FM, OESTE CAPITAL ou SONORA, as informações sobre as intenções de voto nessas eleições de 2020, um ano realmente atípico.

Foto: ClicRDC

VEJA A PRIMEIRA PESQUISA: Resultado de pesquisa eleitoral de Chapecó é divulgado pelo Grupo Condá de Comunicação;