OUÇA AO VIVO

InícioGERALParaguaio contratado para matar esposa de empresário em Chapecó é condenado a...

Paraguaio contratado para matar esposa de empresário em Chapecó é condenado a mais 15 anos de prisão

Crime ocorreu em 2019 no centro de Chapecó; vítima conseguiu se recuperar


Foto: ClicRDC

Um homem de nacionalidade paraguaia de 32 anos contratado para matar a esposa de um empresário de Chapecó, foi condenado a 15 anos e oito meses de prisão em regime fechado. O julgamento que durou mais de 10 horas, ocorreu nesta quinta-feira (25). Além de tentativa de homicídio, a pena também inclui as penalidades por porte ilegal de arma de fogo com numeração raspada e uso de documento falso.

O crime ocorreu na tarde de 3 de junho de 2019, na rua Marechal Deodoro da Fonseca, próximo ao Banco do Brasil. Na ocasião, o acusado efetuou três disparos na cabeça da vítima, que foi socorrida e encaminhada ao hospital. A mulher conseguiu se recuperar.

As investigações apontaram que uma das acusadas procurou uma cartomante, que também responde pelo crime, em busca de reconciliação com o ex-marido, que se encontrava em novo relacionamento. Como o feitiço – que custou cerca de R$ 300 mil – não deu certo, a mulher propôs o homicídio da atual companheira do homem.

- Continua após o anúncio -

Um atirador foi contratado para executar o crime e recebeu a orientação de simular um latrocínio (roubo seguido de morte). Dos R$ 35 mil prometidos, R$ 15 mil foram pagos antecipadamente. O paraguaio fugiu em uma motocicleta e foi preso minutos depois. Ele apresentou documento de identidade falsificado.

Ainda segundo a denúncia apresentada, a cartomante, então, exigiu mais dinheiro da mulher, a fim de sair da cidade com o marido. Sob ameaça de morte contra ela e o neto, a mulher entregou cheques no total de R$ 800 mil, dos quais R$ 90 mil foram compensados. 

O julgamento

O paraguaio responde por tentativa de homicídio. Os jurados reconheceram as qualificadoras de crime cometido mediante paga ou promessa de recompensa e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima. 

O conselho de sentença foi composto por dois homens e três mulheres, escolhidos por sorteio. Depois da explanação da acusação e da defesa, o promotor de justiça pediu e fez uso da réplica. Durante toda a sessão, o réu foi acompanhado por um intérprete da língua espanhola. Inclusive, foi o profissional que auxiliou o acusado em seu interrogatório, quando confessou os crimes, e na interpretação da sentença.

A tentativa de homicídio contra uma mulher, no Centro de Chapecó, ocorreu em 3 de junho de 2019. Depois de puxar a bolsa da vítima, o réu acertou três tiros na cabeça dela, simulando um assalto. Ela foi socorrida, passou por cirurgia e se recuperou. A sessão desta quinta-feira (25/11) julgou um dos quatro acusados pelo crime. Um casal vai a júri no final de janeiro e a acusada de ter encomendado a morte da vítima ainda não tem data para ser julgada.

Publicidade

Notícias relacionadas

SIGA O CLICRDC

123,931FansLike
45,000FollowersFollow
59,530FollowersFollow
6,620SubscribersSubscribe