Golpista negocia carro de Maravilha, simula depósito e vende veículo a morador de Iporã do Oeste

O caso será investigado pela Polícia Civil

Informações Portal Peperi

IMAGEM ILUSTRATIVA Foto: Divulgação / Polícia Civil

Um golpe foi registrado pela Polícia Militar de Iporã do Oeste por volta do meio dia desta terça-feira (2). Segundo o sargento Milton Wolf, um homem de Maravilha anunciou a venda de um automóvel, uma EcoSport com placas de Maravilha, pelo valor de R$ 42.500,00 em um famoso site de vendas.

De acordo com o Portal Peperi, uma pessoa, que se identificou como sendo de Concórdia, manifestou interesse em adquirir o veículo e simulou a transferência do valor na conta da vítima, possivelmente falsificando o comprovante de depósito do valor. Esta pessoa que recebeu do proprietário o documento de transferência preenchido, fez um novo anúncio no site de compra e venda, oferecendo o mesmo carro por um valor mais baixo.

Segundo o Portal Peperi, uma pessoa de Iporã do Oeste encontrou o anúncio do automóvel pelo valor de R$ 33 mil, e passou a conversar com o suposto vendedor, que lhe repassou o documento de transferência. Após negociação, o homem de Iporã efetuou o depósito dos R$ 33 mil em uma conta indicada pelo suposto vendedor e foi buscar o veículo em Maravilha, com o vendedor original e proprietário do veículo.

Porém, ao conferir a conta, o vendedor e antigo proprietário do veículo percebeu que não havia recebido os R$ 42.500,00 da transferência. Já o depósito de R$ 33 mil efetuado pelo comprador final, foi em uma conta no estado de Goiás, indicada pelo suposto vendedor.

Em resumo, o golpista ficou com os R$ 33 mil, a pessoa de Iporã do Oeste ficou com o carro, e o proprietário acabou perdendo o automóvel já que a transferência do valor solicitado não ocorreu.

Em situações como esta, a Polícia Militar orienta que a pessoa nunca conclua a venda de bens sem se certificar da efetivação da transação, comprovante de TED ou comprovante de entrega de envelope não garantem a efetivação.

E além disso a PM alerta para nunca seja feita uma compra de objetos muito abaixo do preço de mercado, pois podem ser objeto de crime.

O caso será investigado pela Polícia Civil.