Febre Amarela: "Não matem os macacos", diz especialista - ClicRDC | Notícias de Chapecó e do mundo

Febre Amarela: “Não matem os macacos”, diz especialista

Reprodução TV/NSC

“Não matem os macacos”, essa é a orientação do Doutor em Entomologia (estudo dos insetos), Daniel Albeny Simões, que é professor do Programa de Pós – graduação em Ciências Ambientais da Unochapecó.  Segundo o professor, erroneamente as pessoas relacionam o animal com a Febre Amarela e acabam por matar o animal que, na verdade, é um aliado humano na identificação de prováveis surtos da doença.

Em Santa Catarina, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC) confirmou, nesta semana, a segunda morte de macaco com o vírus da Febre Amarela. A primeira morte aconteceu em uma área de mata em Garuva (SC), em 20 de março. O segundo caso foi registrado no bairro Canela, no distrito de Pirabeiraba, em Joinville (SC).

 Uma morte humana pela doença foi registrada no estado, neste ano.  A vítima foi um homem, de 36 anos, que não se vacinou contra a Febre Amarela e evoluiu para óbito. Ele morava na localidade de Pirabeiraba, em Joinville (SC).

Aliados

O professor considera que os macacos são aliados dos humanos, pois toda vez que se encontra um animal morto em uma região de mata é um indicativo que naquele local pode ocorrer um surto silvestre de Febre Amarela.

Por isso ele alerta para não matar os macacos de forma nenhuma. “Se você souber de uma região em que ocorrem mortes de macacos, você deve avisar a vigilância epidemiológica”. Outra orientação do professor é evitar o contato de pessoas na região afetada, principalmente, se elas não forem vacinadas.

Conforme o Doutor Daniel, quando são noticiadas as mortes de macacos com o vírus, erroneamente algumas pessoas matam os outros animais desses locais. “Isso é errado, porque você mata um grupo de macacos e está permitindo que a região fique descoberta com relação ao animal que vai fornecer o indicativo da doença”, explica.

Os macacos são vítimas do vírus que se replica em mamíferos.

Febre Amarela

Conforme o doutor Daniel, a Febre Amarela é uma doença que causa um quadro febril. Ela se manifesta em ambiente silvestre e é transmitida por mosquitos. “O vírus circula naturalmente por essas áreas de mata, entre os mosquitos e os animais mamíferos que vivem ali”.

 Para o professor, é difícil a doença chegar ao ambiente urbano, por ocorrer naturalmente em florestas. Tanto que, segundo o estudioso, não há registros da febre em área urbana. “Os registros de febre humana que temos são de pessoas que adentraram na mata e contraíram o vírus.”

Vacina

Conforme o Doutor Daniel, a doença é um risco por causa da falta de informação e negligência. Além da desinformação que leva algumas pessoas matarem os macacos, Daniel considera que outro grande problema é que as pessoas negligenciam o processo de vacina.

“Hoje, só pega febre amarela quem quer, porque o governo disponibiliza vacina de graça. O Brasil deveria estar todo vacinado contra a febre amarela”, analisa.

Comentários do Facebook