Relatório de ONG internacional aponta que Brasil registra três feminicídios por dia

Conforme aponta relatório da ONG Human Rights Watch, em 2017 foram 1.133 vítimas deste crime no país; Em Santa Catarina foram 42 feminicídios no ano passado, média de três por mês

A ONG Americana Human Rights Watch divulgou um relatório no qual aponta que o Brasil enfrenta uma epidemia de violência doméstica. Em 2017, das 4.539 mulheres assassinadas, 1.133 foram vítimas de feminicídios – mortes motivadas pelo gênero. Trata-se de um aumento de 6,5% em relação a 2016, quando se registraram 4.201 homicídios de mulheres, sendo 812 feminicídios.

Os números destacam a violência generalizada em todos os Estados. Ainda sem os números de 2018 contabilizados pela entidade internacional, dados da Secretaria de Segurança Pública revelaram que a realidade de Santa Catarina foi de 42 feminicídios no ano passado, média de três por mês.

A análise da ONG indica que a polícia não investiga devidamente os casos de violência doméstica, de maneira que muitos dos responsáveis não são processados. No fim de 2017, mais de 1,2 milhão de casos estavam pendentes nos tribunais.

Além disso, dados da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres apontam que houve redução do número de casas de acolhimento: de 97, em 2017, para 74, em 2018. Também ocorreu encolhimento de centros de atendimentos, de 256 para 241, além de 504 delegacias da mulher, em 2016, para 497, em 2017.

“Quando se tem menos lugares para as mulheres recorrerem, cada vez mais as tentativas e o feminicídio em si podem aumentar, por não ter um órgão que ampare judicialmente” diz o diretor para as Américas da ONG, José Miguel Vivanco.

*Informações Diário Catarinense