Oeste de SC: Operação desarticula grupo responsável por comércio ilegal de “papel seda” no Brasil – ClicRDC | Notícias de Chapecó e do mundo

Oeste de SC: Operação desarticula grupo responsável por comércio ilegal de “papel seda” no Brasil

A Polícia Federal realiza mandados de busca e apreensão na manhã de quinta-feira (13)

Foto: Reprodução/Polícia Federal

A Polícia Federal (PF) realiza, na manhã de quinta-feira (13), a Operação Smoke – que tem como objetivo desarticular um grupo criminoso que realiza o comércio ilegal de “papel seda”. Cerca de 40 policiais federais cumprem 11 mandados de busca e apreensão nas cidades de Dionísio Cerqueira (SC), Santa Terezinha de Itaipu (PR), São Paulo (SP), Praia Grande (SP) e São Vicente (SP). 

De acordo com a PF, o papel é fornecido por um homem que atua na cidade de Bernardo de Irigoyen, na Argentina – localizada na fronteira com as duas cidades brasileiras. A investigação começou em 2017, quando um dos investigados foi preso em Barracão após entrar no brasil com uma carga do material. 

O “papel seda” é utilizado para fazer cigarros, sendo que praticamente todo o produto dessa natureza utilizado no Brasil tem origem estrangeira.

A Polícia apurou, ainda, que em um período de três anos, o fornecedor argentino recebeu cerca de R$2.300 milhões em uma conta que mantinha no Brasil. A investigação apontou que há fortes indícios de que esse valor provém desta modalidade de comércio ilícito.  

Envolvimento de moradores do Oeste

A investigação apontou, também, que pessoas de Dionísio Cerqueira e de Santa Terezinha de Itaipu (PR) eram responsáveis por fazer a remessa dos produtos para distribuidores do Estado de São Paulo. Os responsáveis receberam, em contas pessoais, cerca de R$ 4.800 milhões. 

A Polícia Federal realiza o bloqueio de bens (conta bancária e sequestro de imóveis) de três indivíduos investigados.Nos autos do inquérito policial instaurado para completa apuração dos fatos, os investigados poderão ser indiciados pelo crime de descaminho, com pena de até 4 anos de reclusão, praticado em associação criminosa, com pena de até 3 anos de reclusão.

Comentários do Facebook