Mulher leva idoso morto ao banco para sacar benefício

Confira

Informações: G1

Caso é investigado pelo 1º DP de Campinas — Foto: Reprodução/EPTV/G1

Uma mulher é investigada pela Polícia Civil por levar um idoso morto a uma agência  bancária para tentar sacar o benefício dele. De acordo com informações do G1, o fato teria acontecido em Campinas, no estado de São Paulo, no início de outubro (2). Na tentativa de fraude, a suspeita levou o cadáver em uma cadeira de rodas. 

Um laudo sobre o caso, que foi concluído e entregue à Polícia Civil, nesta quinta-feira (15), aponta que o idoso, de 92 anos, era um escrivão de polícia aposentado e havia morrido cerca de 12 horas antes do caso. Após a morte, ela conduziu o cadáver para uma agência do Banco do Brasil. Ele e a mulher, de 58 anos, eram casados.

“A causa da morte foi natural, mas vamos indiciar a companheira do idoso por estelionato e vilipêndio de cadáver [desprezar ou humilhar corpo]”, explicou o delegado Cìcero Simões da Costa, do 1º DP de Campinas, em entrevista ao G1.

A investigação aponta, ainda, que na data dos fatos guardas-civis do município de Campinas foram acionados para irem até o local, onde o idoso “passava mal”. Ao chegar na agência, conforme o relato dos guardas, uma equipe de bombeiros já atendia o idoso. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e um dos socorristas levantou dúvidas sobre a morte do policial aposentado, já “que aparentava estar morto há mais tempo, devido ao estado cadavérico em que se encontrava e ao inchaço dos pés”, diz trecho de boletim de ocorrência.

A mulher afirmou aos guardas que mantinha uma união estável com ele há dez anos. Ela teria dito aos guardas que levou o companheiro ao banco porque ela movimentava as contas do idoso, mas que havia perdido as senhas de letras da conta bancária.