Justiça concede guarda de criança que ingeriu crack a tio - ClicRDC | Notícias de Chapecó e do mundo

Justiça concede guarda de criança que ingeriu crack a tio

A criança foi internada na última quinta-feira (3) em estado grave por ingerir crack

A justiça decidiu pela guarda provisória da bebê de 11 meses que engoliu uma pedra de crack na tarde da última quinta-feira (3). A decisão é do promotor de justiça da vara de infância e juventude de Abelardo Luz (SC). O promotor alegou que a um familiar próximo que pode assumir a guarda da criança. A criança recebeu alta do Hospital Regional do Oeste.

Em entrevista para a Rádio Liberdade FM no programa Jornal O Falcão o promotor Marcos Augusto Brandalize falou sobre o caso: ‘’O Ministério Público instaurou um procedimento administrativo para apurar a dimensão do que aconteceu e a indicativa que existe um familiar próximo que tenha condições de acolher por hora esta criança. Também foram solicitados relatórios do Cras, e o Conselho Tutelar também está acompanhando este caso e agora dependemos de informações do hospital para que possamos saber qual é o efeito que causou, qual substância ela ingeriu e qual foram os resultados dos exames. A partir disso o Ministério Público vai tomar as medidas judiciais a respeito da criança.’’

Relembre o caso

Uma menina de 11 meses deu entrada no hospital de Abelardo Luz com suspeita de ter ingerido droga. Ela foi transferida para Chapecó (SC). O caso foi registrado pela Polícia Militar do município, na noite da quinta-feira (3), por volta das 19h. A mãe do bebê informou aos policiais que o pai da menina é usuário de drogas e possivelmente ela tenha encontrado alguma substância que pertence a ele. A mãe foi detida.

Conforme a PM, a mãe da menina disse que na quarta-feira (2) o marido chegou em casa com dois invólucros metálicos, que ela acredita que seja crack. Ele foi ao banheiro consumir a droga. Na quinta-feira (3), por volta das 12h, ela foi dar banho na menina e a colocou no chão por um instante. Nesse momento a bebê encontrou um fragmento que – segundo a mulher – possivelmente seja do crack trazido pelo pai. A mulher disse que a bebê colocou o objeto na boca e logo ela cuspiu.

Ainda conforme o relato da mulher aos policiais, por volta das 14h a menina começou a tremer como se estivesse convulsionando. A mãe chamou um táxi e a levou ao hospital. A menina foi transferida para o Hospital Regional em Chapecó e posteriormente ao Hospital da Criança.

A PM informou que o pai da menina não foi até o local. Os policiais prenderam a mulher e a apresentaram na Delegacia da Polícia Civil, que irá investigar o caso.


M