OUÇA AO VIVO

InícioSAÚDEPrefeitura de Chapecó entrega relatório sobre o combate a pandemia de Covid-19

Prefeitura de Chapecó entrega relatório sobre o combate a pandemia de Covid-19

Saiba mais

Foto: Prefeitura de Chapecó

A Prefeitura de Chapecó, em evento ocorrido no auditório da Administração Municipal na manhã desta quarta-feira (11), entregou um relatório elaborado pela UNOESC sobre o combate a segunda onda de casos de Covid-19, que ocorreu nos meses de fevereiro e março de 2021 no município, em função da variante Delta do vírus, e foi responsável por praticamente metade das 842 mortes registradas desde o início da pandemia, em março de 2020.

O sistema de tratamento imediato montado pela prefeitura foi avaliado pelos professores Cristian Dalla Vecchia, Simone Silveira, Saulo Jorge Téo e Marcieli Maccari. O médico responsável pelo ambulatório especializado para o tratamento imediato, instalado próximo ao Complexo Esportivo Verdão, no bairro Jardim América, foi o dermatologista Dr. Diego Bet.

Segundo o estudo da UNOESC, entre 1º de janeiro e 18 de outubro de 2021, 13.156 pacientes foram analisados pela equipe de pesquisadores. Destes, 346 morreram por causa da Covid-19. Os milhares de infectados que foram pesquisados foram divididos em dois grupos: 5.151 pacientes foram tratados pelo sistema de tratamento imediato da prefeitura, onde receberam cloroquina, hidroxicloroquina, vitamina D, ivermectina, zinco, antibióticos e/ou corticosteroides.

- Continua após o anúncio -

O outro grupo era composto de 8.005 pacientes que não receberam tratamento imediato. Os resultados divulgados pela UNOESC indicam altas diferenças na taxa de letalidade por causa da Covid-19 entre os dois grupos:

Arte: Prefeitura de Chapecó

Analisada a tabela, a taxa de letalidade do grupo de pacientes que fez o tratamento imediato, segundo a pesquisa, chegou a 1,42%, enquanto a taxa no grupo de quem não fez o tratamento chegou a 3,41%. A diferença entre os dois grupos chega a 240%, o que motivou novas criticas do prefeito de Chapecó, João Rodrigues, aos críticos do uso de medicamentos contestados durante a crise sanitária para o tratamento da Covid-19, principalmente a cloroquina e a ivermectina.

Publicidade

Notícias relacionadas

SIGA O CLICRDC

123,931FansLike
45,000FollowersFollow
59,003FollowersFollow
6,620SubscribersSubscribe