Plano de Expansão para a nova ala do HRO é entregue ao Secretario da Saúde de SC - ClicRDC | Notícias de Chapecó e do mundo

Plano de Expansão para a nova ala do HRO é entregue ao Secretario da Saúde de SC

O HRO atua hoje em regime de alta complexidade, com 25 especialidades e atendendo a 1,3 milhão de pessoas de cerca de 120 municípios do Grande Oeste

Foto: Mauro Mauricio Biondo

A nova ala do Hospital Regional do Oeste (HRO), denominada Valmor Lunardi, está com as obras praticamente concluídas, mas ainda sem data para iniciar as operações. Nesta terça-feira (17), os deputados estaduais da Bancada do Oeste estiveram com o Secretário de Estado da Saúde, Helton de Souza Zeferino, para entregar o Plano de Expansão e Gerenciamento da nova ala.

“Recebi o Plano da diretoria do Hospital e busquei o secretário para fazer a entrega. Precisamos colocar em funcionamento o quanto antes essa ala para reduzir a superlotação, qualificar o atendimento e diminuir as filas cirúrgicas. A nossa comunidade não pode esperar”, frisou Altair Silva, um dos deputados da Bancada do Oeste. Altair foi o responsável por organizar o encontro.


Foto: Mauro Mauricio Biondo

O novo prédio de 11 mil metros quadrados distribuídos em nove andares já recebeu alvará de funcionamento, mobiliário há cerca de um ano e parte dos equipamentos. Uma segunda licitação para compra de equipamentos foi lançada pelo Governo do Estado em abril, com valor de R$ 10 milhões. De acordo com o secretário, já foi totalizado R$ 60 milhões de investimentos pelo Governo do Estado na edificação e instrumentação da ala.

“Os novos equipamentos estão em processo de licitação, esperamos que não haja entraves burocráticos no processo e possamos entregar ao Hospital os materiais”, comentou Helton.

Estão previstas sete etapas para execução desse plano com investimento superior a R$ 14 milhões, segundo o Hospital Regional. A primeira e segunda etapa, com previsão para 2019, coloca em funcionamento o terceiro, o sétimo e o oitavo andar, com internações e ambulatórios oncológicos, para realização de quimioterapia, além da central farmacêutica e o laboratório de análises clinicas.

“O impacto seria imediato, com uma qualificação no atendimento e com a ampliação de 46 leitos na internação cirúrgico no prédio antigo”, ressaltou Altair. O investimento para essas etapas iniciais é superior a um milhão de reais.

O presidente da diretoria-executiva da Associação Hospitalar Lenoir Vargas Ferreira, Rogério Delatorre, disse que a nova ala vai zerar a fila de espera por cirurgias e dobrar a capacidade de atendimento na UTI. Hoje, são 16 leitos, além de outros 10 leitos improvisados, e seis salas de cirurgias. Com a nova ala, serão 13 salas de cirurgias e a capacidade passará para 2,5 mil cirurgias por mês, ante a capacidade atual de 1,2 mil cirurgias mensais.

A proposta definida pela diretoria é transferir a oncologia para a nova área. Isso representaria 46 novos leitos cirúrgicos que possibilitariam ampliar o atendimento em cirurgia geral, ortopédicas e neurológicas, onde existe maior fila de espera hoje. Um dos problemas para essa operação é que o hospital já está com um déficit de cerca de R$ 700 mil entre a despesa, que chega a R$ 12 milhões, e a receita, que é de R$ 11,3 milhões, segundo dados apresentados pelo próprio Hospital no início de agosto.

Participaram da entrega do documento, os deputados estaduais da Bancada do Oeste, Marlene Fengler, Moacir Sopelsa, Jair Miotto e Luciane Carminatti, além do vereador chapecoense Diego Alves.

O HRO

O Hospital Regional do Oeste atua hoje em regime de alta complexidade, com 25 especialidades e atendendo a 1,3 milhão de pessoas de cerca de 120 municípios do Grande Oeste. Conta com 337 médicos e 1.032 funcionários. No primeiro semestre deste ano, realizou 390 mil atendimentos e 9,2 mil internações pelo SUS, número que deverá passar de 20 mil internações até o final do ano.