Funerais: uma nova rotina depois do Coronavírus

Decreto recomenda a suspensão de cultos ecumênicos e cortejos fúnebres

Com o decreto de situação de emergência em todo o estado de Santa Catarina, acatado por Chapecó, as funerárias continuam em funcionamento por serem consideradas serviços emergenciais. De acordo com a Diretoria de Vigilância Sanitária (DIVS/SC), os velórios devem ter algumas restrições para evitar a contaminação por coronavírus.

Segundo Douglas Sales Branco, proprietário de uma funerária em Chapecó, os velórios são restringidos apenas para familiares, no menor tempo possível, com apenas 10 pessoas por vez. Ele relata que a funerária sempre tomou diversas medidas de precaução, mas com a ameaça do COVID-19, os funcionários passaram a utilizar máscaras para reforçar os cuidados.

Outro agente funerário que prefere não de identificar, falou ao ClicRDC que em Chapecó, na sexta-feira (20)  um velório realizado atendeu as medidas impostas pelo governo. O ato fúnebre teve duração de duas horas e respeitou as 10 pessoas no espaço. Outro caso detalhado, foi a de uma família que optou em não realizar funeral e sepultou o familiar logo que o corpo foi liberado do hospital. Os casos citados nesta matéria não tem ligação com caso de morte causada pelo coronavírus em Chapecó. 

Medidas impostas pelo decreto 

Funerárias, cemitérios, crematórios e responsáveis por velórios, conforme a DIVS, devem tomar as seguintes medidas: 

– Os funerais deverão ser realizados apenas com familiares diretos e amigos próximos e preferencialmente serem realizados somente no dia do sepultamento; 

– Recomenda-se a suspensão de cultos ecumênicos e cortejos fúnebres para velórios; 

– Os velórios devem ser realizados preferencialmente em capelas mortuárias; 

– Não é recomendada a realização de velórios em domicílio; 

– Recomenda-se no máximo dez pessoas por sala de vigília, com intuito de evitar aglomerações; 

– Manter os ambientes ventilados; 

– Deve-se aumentar a frequência de higienização de banheiros, maçanetas, mesas, balcões, cadeiras, etc.  

– Disponibilizar produtos como sabonete líquido e toalhas de papel descartáveis para as instalações sanitárias; 

– As capelas mortuárias devem ser totalmente higienizadas a cada velório; 

– Higienizar as mãos com água e sabonete ou sabão sempre que possível, principalmente antes das refeições e após utilizar o banheiro, após tossir ou espirrar. Quando não dispor de água e sabão, pode ser utilizado as preparações alcoólicas (álcool gel, por exemplo).