Dive-SC alerta para casos de doenças diarreicas no verão - ClicRDC | Notícias de Chapecó e região

Dive-SC alerta para casos de doenças diarreicas no verão

Crescimento está relacionado ao consumo de alimentos contaminados, contato com água imprópria para banho e maior circulação de organismos causadores da moléstia

Dive recomenda higienização de frutas, legumes e verduras para evitar a doença — Foto: Getty Images

Informações G1

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive-SC) alerta para as doenças diarreicas no verão. Nesta estação, geralmente o número de casos aumenta por causa do consumo de alimentos e bebidas contaminados, contato com água imprópria para banho e maior circulação de vírus, bactérias e parasitas causadores da moléstia.

Conforme o médico infectologista da Dive-SC, Fábio Gaudenzi, quem tiver sintomas da doença deve evitar a automedicação e procurar uma unidade de saúde para fazer o tratamento correto. Além disso, nesses locais é feita a coleta de material biológico para que a Diretoria possa tentar identificar os possíveis alimentos e agentes causadores da doença.

No ano passado, foram 241 surtos de síndrome diarreica aguda. Conforme a Dive, geralmente os organismos causadores da doenças são transmitidos por causa do preparo e acondicionamento errado de alimentos, por bebidas, como água e sucos, de procedência duvidosa e falta de higiene nas mãos.

Entre os organismos causadores das doenças estão o rotavírus e norovírus, as bactérias Escherichia coli, Salmonella e Shigella e os parasitas Cryptosporidium, Cyclospora e giárdia.

As recomendações para que essas doenças sejam evitadas são relacionadas a higienização dos alimentos e o estado de conservação deles:

Evitar comer carne crua e mal passada, independentemente da procedência; Embalar adequadamente os alimentos antes de colocá-los na geladeira; Lavar frequentemente as mãos com água e sabão, especialmente após usar o banheiro e antes de comer, preparar ou manipular alimentos;
Lavar e desinfetar superfícies que tenham sido contaminadas com vômito e fezes de pessoas doentes, usando água e sabão e desinfecção com água sanitária.