Coronavírus: OMS tira recomendação contra ibuprofeno

O Ministério da Saúde mantém a restrição por enquanto, pois falta estudos científicos

Fonte G1

Foto: ClicRDC

Conforme orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS) foi retirado a restrição de uso de medicamentos à base de ibuprofeno no tratamento contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.


  • Veja lista de medicamentos que contém Ibuprofeno na fórmula:
  • Advil
  • Algiflex
  • Algi-Reumatril
  • Alivium
  • Buprovil
  • Buscofem
  • Dalsy
  • Doraliv
  • Doraplax
  • Febsen
  • Ibuflex
  • Ibufran
  • Ibuliv
  • Ibupril
  • Ibuprofan
  • Ibuprofeno
  • Ibupromed
  • Ibuprotrat
  • Ibuvix
  • Iquego-Ibuprofeno
  • Lombalgina
  • Motrim
  • Novalfem
  • Otiun
  • Parartrin
  • Spidufen
  • Uniprofeno

O Ministério da Saúde mantém a restrição por enquanto, pois faltam estudos científicos. Nas redes sociais o ministério pediu precaução e recomendou a substituição do ibuprofeno por outros analgésicos. Ainda segundo o ministério, “é fundamental que a substituição de medicamentos seja feita com recomendação de um profissional de saúde.”

Por que havia restrição contra o ibuprofeno?

A contra indicação ocorreu após o ministro da Saúde francês alertar, no sábado (14), contra o uso do ibuprofeno, que é encontrado em anti-inflamatórios.
Uma pesquisa científica sugeriu que pacientes com diabetes e hipertensão tratados com ibuprofeno corriam mais riscos de desenvolver quadros mais graves da Covid-19.

Por que foi retirada a restrição contra o ibuprofeno?

A Organização Mundial da Saúde afirmou que “está ciente das preocupações sobre o uso de anti-inflamatórios não esteroidais (ibuprofeno) para o tratamento da febre em pessoas com Covid-19. Após uma simples revisão das pesquisas científicas, a OMS não chegou a uma conclusão sobre os dados clínicos ou de base populacional publicados sobre esse tópico, e ainda não temos conhecimento de relatos de efeitos negativos do ibuprofeno, além dos efeitos colaterais conhecidos usuais que limitam seu uso em determinadas populações”