Campanha de vacinação contra o Sarampo deve iniciar em junho - ClicRDC | Notícias de Chapecó e do mundo

Campanha de vacinação contra o Sarampo deve iniciar em junho

SC possui três casos confirmados da doença

Informações Agência Brasil

O Ministério da Saúde já confirmou 83 casos de sarampo no país neste ano.  Três deles são em Santa Catarina. De janeiro a maio do ano passado, a pasta havia notificado 117 casos de sarampo no Brasil, com dois óbitos. No próximo dia 10 de junho, o Ministério da Saúde planeja dar inicio a uma campanha de vacinação contra o sarampo.

Além  dos três casos catarinenses, segundo o ministério, foram confirmados 43 registros da doença no Pará;  27 em São Paulo, quatro no Amazonas, três em Minas Gerais, dois no Rio de Janeiro e um em Roraima. Deste total, 27 são autóctones e todos eles de residentes no Pará. Os demais casos foram

Dos casos importados, 19 deles ocorreram em um surto da doença dentro de um navio de cruzeiro em Santos, no litoral paulista. O mesmo navio também provocou três casos de sarampo em Santa Catarina e um caso no Rio de Janeiro.

Sarampo

É uma doença infecciosa, viral e contagiosa, que é transmitida pela fala, tosse e espirro. Os sintomas da doença são febre alta [acima de 38,5º C], tosse, coriza, conjuntivite e manchas avermelhadas na pele e brancas na mucosa bucal. A vacinação é a única maneira de prevenir a doença. A vacina que protege contra a doença é a tríplice viral, que também protege contra caxumba e rubéola.

As complicações mais comuns do sarampo são infecções respiratórias, otites, doenças diarreicas e doenças neurológicas. As complicações do sarampo podem deixar sequelas, tais como a diminuição da capacidade mental, a cegueira, a surdez e o retardo do crescimento. O agravamento da doença pode levar à morte de crianças e adultos.

Certificado

O Brasil recebeu da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), um certificado de país livre do vírus do sarampo, em 2016. O Ministério da Saúde confirmou ao órgão, em março deste ano, um caso de sarampo endêmico ocorrido no Pará, no mês de fevereiro.

Com o registro deste caso, o país deve perder a certificação de país livre da doença. A pasta informou que o governo federal  lançou em abril o Movimento Vacina Brasil, que visa reverter o quadro de queda das coberturas vacinais no país.