Nelson Teich toma posse e assume Ministério da Saúde

Em discurso, Teich reforçou a valorização das pessoas

Foto: Reprodução/ClicRDC

O médico oncologista Nelson Teich assumiu, na manhã de sexta-feira (17), o posto de ministro da saúde do governo de Jair Bolsonaro. A cerimônia, realizada no Palácio do Planalto, contou com a participação do presidente e do ex-ministro, Luiz Henrique Mandetta. 

Durante pronunciamento, Jair Bolsonaro pediu que Nelson Teich busque uma alternativa para poupar vidas e evitar o aumento do desemprego da população, durante a pandemia de coronavírus (Covid-19). 


“Não queremos vencer a pandemia e chamar o doutor Paulo Guedes [ministro da Economia] para solucionar as consequências de um povo sem salário, sem dinheiro e quase sem perspectivas em função de uma economia que está sofrendo muito revezes”, disse o presidente.


A demissão de Luiz Henrique Mandetta foi motivada por divergências entre ele e o presidente, sobre caminhos de combate à pandemia de Covid-19. Mandetta defendia um isolamento social mais forte, enquanto Bolsonaro é favorável a abertura do comércio para evitar impactos econômicos. 

O ex-ministro aproveitou a oportunidade para realizar um panorama da gestão de 16 meses em frente à pasta da Saúde. Ele reforçou o lançamento do programa Médicos pelo Brasil e o fortalecimento da atenção primária, e destacou parcerias para ampliar a produção de respiradores e testes, como medidas de combate ao coronavírus. Ele também agradeceu o presidente e se colocou à disposição para o governo, caso necessário. 


“Tenho certeza que o Mandetta deu o melhor de si. Aqui não tem vitoriosos nem derrotados, a história, lá na frente, vai nos julgar. Essa briga de começar a abrir o comércio é um risco que eu corro, porque se agravar vem pro meu colo”, disse Bolsonaro sobre a mudança de ministros. 


O novo ministro

Nelson Teich ressaltou que há uma pobreza de informações em relação à Covid-19, o que gera um grande nível de ansiedade. “A gente vive não só um problema clínico, de cuidar da doença, mas de administrar todo o comportamento de uma sociedade que está com medo”, disse. Segundo ele, a pretensão é trabalhar através da informação e do conhecimento para chegar a uma solução.

O foco do combate ao novo coronavírus, segundo o ministro, é nas pessoas, sem descuidar da atenção para outros problemas de saúde da população e do período de novas doenças, como dengue e influenza. “Por mais que se fale em saúde e economia, não importa o que você falar, o final é sempre gente”, disse.

O novo ministro da Saúde é médico oncologista e empresário do setor. É natural do Rio de Janeiro, formado pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), com especialização em oncologia no Instituto Nacional de Câncer (Inca). Também é sócio da Teich Health Care, uma consultoria de serviços médicos.

Teich chegou a atuar como consultor informal na campanha eleitoral de Bolsonaro, em 2018, e foi assessor no próprio Ministério da Saúde, entre setembro do ano passado e janeiro deste ano.