Entidades pedem a cassação do mandato da deputada Ana Campagnolo - ClicRDC | Notícias de Chapecó e região

Entidades pedem a cassação do mandato da deputada Ana Campagnolo

Ação foi encaminhada por quebra de decoro

*Informações ND+

Deputada estadual eleita Ana Caroline Campagnolo (PSL)
Foto: Câmara dos Deputados/Divulgação

Segundo informações do jornalista Altair Magagnin, do Grupo Ric Record, uma ação contra a deputada estadual Ana Caroline Campagnolo (PSL) foi protocolado na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), nesta segunda-feira (15). o processo pede a cassação da deputada, por quebra de decoro. A representação foi motivado por ataques da deputada a jornalistas.

A ação é subscrita pela Associação Catarinense de Rádio e Televisão (Acaert-SC), Associação Catarinense de Imprensa (ACI-SC), Sindicato dos Jornalistas (SJ-SC) e Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). Foi levantada a quebra de decoro parlamentar por ataques a jornalistas. O documento será encaminhado à Comissão de Ética, que avalia se receberá a denúncia. Se for o caso, será indicado um relator para abertura de processo.

Em entrevista ao jornalista Altair Magagnin, o presidente da ACI-SC, Ademir Arnon falou sobre o processo:

“Nós acreditamos que num estado republicano não se admite que uma parlamentar, eleita pelo voto popular, guardiã da democracia, cometa esses atos insanos, generalizando todos os jornalistas. Não vamos aceitar esse tipo de comportamento”, disse o presidente da ACI-SC, Ademir Arnon.

Aderbal da Rosa Filho, também comentou a ação da entidades:

“Nossa expectativa é que alguma medida seja tomada em relação a essa agressão aos profissionais de imprensa que, no nosso entender, fere o decoro parlamentar”, afirmou o presidente do SJ-SC, Aderbal da Rosa Filho.

Conforme as entidades, a quebra do decoro aconteceu quando a deputada xingou jornalistas durante a apuração de uma reportagem feita pelo jornalista Altair Magagnin sobre a coincidência do uso de diárias pagas pela Assembleia em dias de lançamento do livro de própria autoria.

Segundo Ana Campagnolo, “As diárias não são pegas para o lançamento do livro, mas para agendas no município. Se em decorrência de estar no município, eu aproveito a ocasião para a noite, depois do encerramento do expediente, lançar o meu livro ou não, essa não é uma questão ilícita.”, disse a deputada ao jornalista Altair.

Sobre a ação, Ana Caroline Campagnolo ainda não se manifestou.