OUÇA AO VIVO

InícioPOLÍTICAEleições 2022: Setor agroindustrial do Sul do país entrega lista de reivindicações

Eleições 2022: Setor agroindustrial do Sul do país entrega lista de reivindicações

Saiba mais

Foto: Divulgação/Aurora Coop

Um consistente conjunto de reivindicações para o fortalecimento do setor agroindustrial da proteína animal – um dos mais importantes da economia brasileira – foi articulado pelas entidades de representação empresarial de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná tendo como foco, entre outras pautas, a melhoria da infraestrutura.

O documento está sendo entregue aos candidatos às eleições deste ano e é firmado pelo Sindicato das Indústrias de Carnes e Derivados (Sindicarne/SC), Associação Catarinense de Avicultura (ACAV) e Associação da Indústria da Indústria de Carnes e Derivados (Aincadesc), ao lado das entidades co-irmãs dos outros dois Estados sulinos.

Os temas debatidos foram objeto de consenso em reuniões realizadas em julho, e impactam diretamente o desenvolvimento do setor agroindustrial. Envolvem ações privadas e públicas que visam manter e desenvolver as cadeias produtivas, fixar a atividade, gerar emprego e renda e manter o nível de excelência que tornou a atividade reconhecida no Brasil e no mundo.

- Continua após o anúncio -

Ao fundamentar as reivindicações, as entidades realçam que os Estados do Sul respondem por praticamente 70% de toda a produção de aves no Brasil e por 80% da produção de suínos. As propostas apresentadas estão orientadas para a sustentabilidade do setor, priorizando as pessoas, o meio ambiente, a logística, a sanidade, a energia, os grãos e acessibilidade telemática.

A produção de aves e suínos no Estado de Santa Catarina responde por mais de 30% do PIB, mais de 67% das exportações, gerando mais de 60.000 postos de trabalho diretos e outros 480.000 indiretos. São abatidos diariamente em Santa Catarina mais de 4 milhões de aves e mais de 30.000 suínos e, apenas o sistema de integração e cooperação desta cadeia de aves e suínos, possui mais de 19.000 famílias fixadas no campo.

As agroindústrias catarinenses investem somente no ano de 2022 uma quantia superior a R$ 5 bilhões, com movimento econômico de ICMS superior a este valor. O Estado é atualmente o 1° produtor e exportador de carne suína e o 2° produtor e exportador de aves. O Brasil é o líder na exportação mundial de aves, mercado no qual Santa Catarina possui papel relevante.

Apesar dessa pujança, o setor sofre com severas adversidades como estiagens prolongadas, vendavais, problemas de conservação de rodovias, preço de grãos e insumos de produção, custo de fretes, dentre outros.

Nesse cenário são necessárias melhorias estruturais, caso contrário o setor pode perder seu protagonismo mundial. As entidades enfatizam que o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em municípios com vocação para o agronegócio e a agroindústria é muito mais elevado que aqueles sem a presença dessa atividade econômica.

Pautas

  • Fomento aos projetos ferroviários e rodoviários para o abastecimento de grãos
  • Linha de crédito para reservação de água da chuva
  • Geração de energia solar e biogás nas propriedades rurais
  • Previsão orçamentária (em lei) para investimento e custeio das entidades estaduais de vigilância e controle sanitário animal e vegetal
  • Ampliação à conectividade no campo
  • Instalação de rede trifásica de energia
  • Construção de rede de abastecimento com biogás
  • Aprovação do Projeto de Lei 1293/21, que trata do autocontrole na inspeção de produtos de origem animal

As lideranças empresariais catarinenses que assinam o documento são os presidentes do Sindicarne/SC, José Antônio Ribas Júnior; da ACAV, Ricardo Castellar de Faria; e da Aincadesc, Irani Pamplona Peters.

Publicidade

Notícias relacionadas

SIGA O CLICRDC

123,931FansLike
45,000FollowersFollow
58,878FollowersFollow
6,620SubscribersSubscribe