Ministra da Saúde da Noruega defende que cidadãos fumem, bebam e comam carne ‘o quanto quiserem’

Sylvi Listhaug é a nova ministra para Saúde Pública e Idosos da Noruega

Sylvi Listhaug chega à reunião anual do seu partido depois de ter sido apresentada como a nova ministra da Saúde Pública, em Oslo, na Noruega, na sexta-feira (3)
Foto: Stian Lysberg Solum via Reuters

Informações G1

A nova ministra para Saúde Pública e Idosos da Noruega causou polêmica ao defender que as pessoas devem poder comer, fumar e beber “o quanto quiserem”. Nomeada na sexta-feira (3), Sylvi Listhaug também disse que os fumantes são levados a se sentirem como párias. Seus críticos dizem que ela tem pouca compreensão do que é saúde pública.

“Meu ponto de partida em relação a saúde pública é muito simples. Não pretendo ser uma polícia moral e dizer como as pessoas devem levar suas vidas, mas pretendo ajudar as pessoas a obter informações que servirão de base para suas escolhas”, disse ela à emissora norueguesa NRK em uma entrevista na segunda-feira.

“As pessoas devem fumar, beber e comer tanta carne vermelha quanto quiserem. As autoridades podem querer informar a população, mas as pessoas sabem muito bem o que é ou não é saudável“, declarou a ministra da saúde.

‘Um retrocesso de décadas em saúde pública’

Listhaug, ela própria uma ex-fumante, acrescentou ainda que hoje quem fuma é levado a se sentir como um pária.

“Eles praticamente acham que têm de se esconder, e isso é estúpido. Embora fumar não seja bom, por ser prejudicial à saúde, adultos têm de decidir por si mesmos o que fazer.”

A ministra defendeu que a única coisa que governos devem fazer é fornecer informações para que as pessoas possam fazer escolhas conscientes.

“É por isso que devemos, entre outras coisas, conceber uma estratégia para o tabaco agora, o que ajudará a evitar que jovens comecem a fumar e também pode levar adultos a pararem” com o hábito.

Listhaug diz que, hoje, só fuma raramente e o faz principalmente em ocasiões sociais.

Anne Lise Ryel, secretária-geral da Sociedade do Câncer da Noruega, disse que os comentários de Listhaug são potencialmente danosos à saúde pública.

“Muitos vão concordar com o que ela diz. Isso representa um retrocesso de muitas décadas em saúde pública”, afirmou Ryel à NRK.