Menina encontra pedido de ajuda de trabalhador chinês em cartão de Natal

O bilhete pedia que quem encontrasse a mensagem entrasse em contato com um jogador


Foto: Reprodução/BBC

Informações: G1 e BBC

A rede de supermercado Tesco suspendeu a produção de cartões de Natal em uma fábrica na China depois que uma menina de seis anos encontrou uma mensagem escrita em um deles.

O recado, encontrado por Florence Widdicombe, foi supostamente escrito por prisioneiros em Xangai, na China, e dizia que eles haviam sido “forçados a trabalhar”.

“Por favor, ajude-nos e notifique uma organização de direitos humanos”, dizia a mensagem.

A Tesco disse que ficou “chocada” com a notícia, acrescentando: “Nós nunca permitiríamos o trabalho forçado em nossa rede”.

O supermercado disse que retiraria da lista de fornecedores dos cartões a Zheijiang Yunguang Printing, caso fosse constatado que eles usam trabalho de detentos.

Florence estava escrevendo cartões para seus amigos da escola quando descobriu que um deles – que tinha o desenho um gatinho com um chapéu de Papai Noel – já havia sido escrito.

Em letras maiúsculas, dizia: “Somos prisioneiros estrangeiros na prisão de Xangai Qingpu, na China. Somos forçados a trabalhar contra a nossa vontade. Por favor, ajude-nos e notifique uma organização de direitos humanos”.

O bilhete pedia que quem encontrasse a mensagem entrasse em contato com Peter Humphrey, um jornalista britânico que foi preso lá quatro anos atrás.

Florence, que é de Tooting, no sul de Londres, disse à BBC News que estava escrevendo seu “sétimo ou oitavo cartão” quando viu “que alguém já havia escrito nele”.