Peça fundamental, Willian Oliveira vive melhor fase da carreira na Chapecoense

Com o volante em campo, a Chape conquistou 25 dos 30 pontos disputados


Foto: Márcio Cunha/ACF

O volante Willian Oliveira é conhecido do técnico Umberto Louzer, mas ao chegou na Chapecoense pouca gente o conhecia. Porém não demorou muito para o atleta mostrar seu potencial e cair nas graças do torcedor. Destaque na reta final do Catarinense, o volante é atualmente uma das principais peças do elenco do Verdão do Oeste.

Diante do bom momento, Oliveira tem visto seu nome ser mencionado com mais frequência na imprensa local e nas redes sociais: “Fico feliz pelo reconhecimento individual, é consequência e fruto daquilo que a equipe vem apresentando, todos estão de parabéns, é gratificante e serve de combustível para continuar trabalhando”, afirmou.

Mais maduro, Willian Oliveira vive o auge da carreira e os números são prova disso. Com o volante em campo, a Chape conquistou 25 dos 30 pontos disputados e o jogador esteve presente até o final em todas as partidas.

“Acredito que é meu melhor momento na carreira. Pelo peso que é representar essa camisa e mais do que isso, ter aproveitamento vestindo ela. A conquista vem pra coroar tudo isso também. Passei por um momento difícil no começo do ano e Deus foi grandioso em minha vida, foi uma reviravolta muito grande e com certeza está sendo o melhor momento da minha carreira”, explicou.

A recompensa das atuações no Catarinense quase veio em grande estilo, mas a trave defendida por Zé Carlos tirou o que seria o primeiro gol do volante pela Chape: “Com o gol seria a melhor forma de terminar. Ia ficar maravilhoso se aquela bola entrasse, mas vou continuar trabalhando e creio que Deus está preparando o momento certo para que isso venha acontecer”, disse.

Agora com foco voltado para o Brasileiro da Série B, o volante projeta melhorar ainda mais o desempenho para terminar o ano com mais comemoração.

“Estou sempre buscando melhorar. Me cobro muito, sempre complemento os treinos com trabalhos técnicos e físicos específicos porque o futebol atual pede. Busco estar próximo do que é necessário para estar em alto nível. A Série B requer isso e se quisermos sonhar, precisamos estar preparados”, finalizou.

O próximo jogo da Chapecoense é diante do Náutico, na sexta-feira (18), às 21h30, no Estádio dos Aflitos, em Recife (PE).