Lisca: "Não quero apagar um incêndio que não fui eu que causei" - ClicRDC | Notícias de Chapecó e do mundo

Lisca: “Não quero apagar um incêndio que não fui eu que causei”

Técnico fala pela primeira vez após recusar convite da Chapecoense.


Foto: Lucas Moraes/Ceara SC

Pela primeira vez, após negociar com a Chapecoense, o técnico Lisca falou sobre os motivos da recusa. Nesta quinta-feira (12), o repórter Mateus Montemezzo, da Equipe Mais – Rádio Oeste Capital conversou com o treinador.

Na conversa, Lisca falou que, anteriormente, já havia sido recusado pelo time de Chapecó. “Me ofereci para trabalhar na Chapecoense após a saída do Ney Franco. Eles me retornaram dizendo que eu não tinha o perfil que eles queriam. O que eu desejava era treinar a Chape a partir da 11ª rodada”, disse o técnico.

Ney Franco foi demitido na noite do dia 24 de julho. Desde então, Emerson Cris comanda a Chapecoense de forma interina.

Durante a conversa, Lisca foi incisivo nas suas declarações. “Não quero apagar um incêndio que não fui eu que criei”, disse o comandante que é conhecido por tirar times de situações adversas.

O técnico ainda citou as dificuldades financeiras da Chapecoense. Falou sobre a falta de possibilidade para contratar peças e comentou a proposta salarial de R$ 120 mil oferecida pela Chape. “Menos da metade que ganhava o Ney”.

Lisca citou a falta de tempo para treinar o time e as dificuldades da tabela no início do returno. Outro ponto comentado pelo treinador é o tempo de contrato oferecido pela Chape – três meses de duração, sem possibilidade de renovação para 2020.

Elogios

Lisca ainda finalizou, dizendo que tem um carinho enorme pela Chapecoense, mesmo recusando a proposta do clube.

Dirigentes dizem o contrário

Ainda em conversas com o repórter Mateus Montemezzo da Equipe Mais, um dos responsáveis pela negociação afirmou que os valores são maiores que R$ 120 mil. Além disso, o clube chegou no valor que o staff do treinador pediu.

Negociações

Durante a noite de terça-feira (10), representantes da Chapecoense se encontraram com os dois empresários do treinador. A reunião foi em Porto Alegre (RS).

Após a resposta negativa do treinador, a Associação Chapecoense de Futebol divulgou uma nota. Nela, o clube informou o encerramento das negociações:

“INFORMAÇÃO
A Chapecoense informa que a negociação com o treinador Lisca está encerrada. O treinador, através de seus empresários, justificou que tem o desejo de iniciar um trabalho desde o princípio e não tem a intenção de assumir nenhum compromisso neste restante de ano.”