Chapecó: Uma vaga, sete candidatos

Confira um breve currículo dos candidatos


Quem acompanha a vida política de Chapecó há algum tempo certamente se surpreendeu com o número de candidaturas registradas à majoritária. Trocamos o discurso da terceira via, da polarização, por múltiplas possibilidades e uma máxima: não existe o já ganhou.

Em um período curto, e alterado pela pandemia, o cidadão também não poderá apelar para a velha fala da falta de opção, ou pela generalização de que são todos iguais.

No prisma político, as candidaturas vão da extrema esquerda à extrema direita. A princípio, todas os matizes estão contempladas.

Logicamente, o êxito virá da boa (e eficiente) comunicação. Terá êxito aquele que se fizer ouvir, que se fizer entender, e que convencer. Não há mais espaço para ondas, tsunamis, números de partidos ou procurações de governantes (venham elas de Brasília ou de Florianópolis).

Raros os espaços e escasso o tempo, os candidatos devem mostrar a que vem: falar das questões locais, da vida em Chapecó, de nossas angústias, necessidades e formular proposições claras para contemplar soluções.

O cidadão deve ter em mente que, em época de baixa arrecadação, não haverá panaceia universal, e, portanto, nenhum herói de capa e espada. Por maiores que sejam os problemas e dúvidas, é necessária a sensatez de ambos os lados da urna – de quem vota, e de quem é votado.

Não se trata de focar na impossibilidade, mas justamente de eleger prioridades, de apostar na inovação e na criatividade.

Desde questões estruturantes como abastecimento de água, até o atendimento de qualidade pelo setor público, cada demanda deve ser contemplada de forma eficiente e transparente, sem fomentar falsas expectativas e sem perder de vista uma máxima da economia e, talvez, da natureza humana: a satisfação de uma necessidade, imediatamente gera outra!

Cleiton Fossá e Giovanni Balen: “Vira a página Chapecó”

Após muitas tratativas, o MDB surpreendeu ao lançar chapa pura na disputa à prefeitura de Chapecó, e Cleiton Fossá foi o nome escolhido para liderar esse processo.


Cleito Fossá

Natural de Chapecó, Fossá tem 41 anos, casado com Carla e pai de Noah e Gael. Advogado e professor universitário, é especialista em Direito Constitucional e Previdenciário.  

A vivência partidária de Fossá vem da juventude: sua primeira filiação foi no PCdoB, junto à política estudantil. Em seguida filiou-se ao Partido dos Trabalhadores, e finalmente ao MDB, em março de 2016. 

Na vida pública, foi coordenador executivo do Procon de Chapecó em 2004 e concorreu a vereador em 2008. Foi eleito vereador de Chapecó para a legislatura 2013/2016 e reeleito para a legislatura 2017/2020.

Na Câmara, foi presidente da Comissão de Segurança Pública e Cidadania (2013/2014). Também foi autor da resolução que criou a Comissão de Ética e Decoro Parlamentar e seu vice-presidente (2015/2016). Desde 2017 é membro da Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final. Fossá foi autor do pedido de criação da CPI do Asfalto em 2013, e da CPI da Saúde em 2017. 

A partir do trabalho na Câmara, o candidato declara: “Chegou a hora de virar a página e renovar a política chapecoense, mantendo os princípios de transparência e honestidade.”


Giovanni Balen

Giovanni Balen tem 38 anos, nasceu em Porto Alegre (RS), mas veio morar em Chapecó aos 6 anos de idade. Corretor de Seguros, com mais de 20 anos de experiência no ramo, é empresário e atuante na política municipal, voluntário em diversos projetos sociais.

Essa é a primeira vez que Balen disputa um cargo eletivo.

João Rodrigues e Itamar Agnoletto: “Chapecó acima de tudo”

A coligação que reúne PSD, PP, PL, PSC, PROS, Republicanos e DEM traz João Rodrigues como candidato à prefeito. Nascido em São Valentim do Sul (RS), o candidato de 53 anos concluiu o ensino fundamental, é empresário e comunicador. Casado com Fabiane, é pai de Caroline e Maria Paula. 


João Rodrigues

Iniciou sua carreira como radialista na Rádio Centro-Oeste de Pinhalzinho, onde foi eleito vice-prefeito na chapa de Darci Fiorini (PPB), no mandato de 1997 a 2000. Elegeu-se prefeito de Pinhalzinho pelo PFL para o mandato de 2001 a 2004, renunciando em abril de 2002 para concorrer a deputado estadual. Eleito, permaneceu na Assembleia Legislativa de Santa Catarina até lançar-se candidato à prefeito de Chapecó, conquistando seu primeiro mandato (de 2005 a 2008). Reeleito para o mandato de 2009 a 2012. 

João Rodrigues renunciou em 2010 para concorrer a deputado federal pelo DEM. Fazendo a quarta maior votação do estado, assumiu o mandato em 1 de fevereiro de 2011. Nas eleições de 2014, foi reeleito deputado federal.  

João Rodrigues foi condenado pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) a cinco anos e três meses de prisão em regime semiaberto por crimes da Lei de Responsabilidade Fiscal e da Lei de Licitações enquanto era vice-prefeito de Pinhalzinho. Detido em fevereiro de 2018, em junho obteve Habeas Corpus autorizando-o a retomar o mandato na Câmara Federal. Sua soltura ocorreu em agosto de 2018.  

Em março de 2020, João Rodrigues teve seus direitos políticos restabelecidos pelo STF (Supremo Tribunal Federal), através de liminar deferida pelo ministro Gilmar Mendes.  

João Rodrigues declara: “sou novamente candidato a prefeito de Chapecó, acima de tudo pela vontade de fazer pelo nosso povo.”


Itamar Antônio Agnoletto

Itamar Antônio Agnoletto tem 56 anos e assumiu em 2017 a quarta legislatura na Câmara de Vereadores de Chapecó, focando os mandatos no trabalho em defesa dos animais e, principalmente, na segurança pública. 

Agente penitenciário aposentado, pós-graduado em Segurança Pública, atuou por 29 anos na Penitenciária Agrícola de Chapecó.  

Deixou o PSDB e filiou-se ao PP em abril desse ano. Casado com Eliane, é pai de Maria, Luana e Ana. 

Leonardo Granzotto e Vanusa Maggioni Cella: “O futuro é agora”

A chapa composta pelos partidos Patriota e PSL, é encabeçada pelo empresário Leonardo Homrich Granzotto. Chapeconese, 43 anos, casado com a Paula, pai de Frederico e Catarina.


Leonardo Homrich Granzotto

Formado em Administração de Empresas – Hab. Comércio Exterior pela UNISINOS, é fluente em inglês e espanhol.

Com 20 anos de experiência, focados no desenvolvimento e aprimoramento de negócios internacionais, atuou como consultor, assessor e executor de projetos na área de Comércio Exterior, o que lhe proporcionou conhecer outras culturas e  formas de organização, como nos EUA, onde morou por uma ano e meio e pode viver uma realidade, na qual as pessoas são mais livres e o Estado menos controlador.

Por 3 anos, foi consultor do SEBRAE na internacionalização de empresas do setor óleo, gás e energia. Há 16 anos atua em projetos na área de água e saneamento. Nesse âmbito, pela Universidade de Manchester, frequentou o curso de “Políticas de água e saneamento para países em desenvolvimento”. Cofundador do projeto GoodWaterForAll que desenvolve soluções para água e saneamento, em países latino-americanos, por meio da capacitação de pessoas, organização de redes, parcerias com ONGs e programas governamentais, com resultados positivos para quase 1 milhão de habitantes em cidades do Panamá, Colômbia, Bolívia, Paraguai e Peru. 

Toda experiência vivida, forma uma base sólida de conhecimento que me preparou para este momento. “Quero usar este aprendizado para contribuir com Chapecó, que pode tornar-se uma cidade de primeiro mundo, com prosperidade e qualidade de vida”.


Vanusa Maggioni Cella

Vanusa Maggioni Cella, natural de Cordilheira Alta, 31 anos, casada e psicóloga.

Com foco de atuação na área ambiental e social, Vanusa é ex-gerente de Resíduos Sólidos da cidade de Chapecó e foi Coordenadora do Programa Municipal “Lixo Zero”.

Embaixadora, consultora e auditora do Instituto Lixo Zero Brasil (ILZB) – uma organização da sociedade civil autônoma, sem fins lucrativos pioneira na disseminação do conceito Lixo Zero no Brasil.

Luciane Stobe e Nilson Carniel: “Chapecó mais humana, mais eficiente , mais feliz”

Esta é a única chapa que traz uma representante feminina como candidata a prefeita, ela é Luciane Aparecida Filipini Stobe, chapecoense, 41 anos, casada, advogada e professora. 


Luciane Stobe

Doutora em direito pela UFSC, pós-graduada em Mercado de Trabalho e Exercício do Magistério; Mestre em direito pela UFSC; graduada em Letras, com habilitação em Língua Inglesa, pela UNOESC; professora titular da Unochapecó, nas áreas de Direito Tributário, Direito do Consumidor, Estágio de Prática Jurídica e Introdução ao Estudo do Direito, Professora do Programa de Mestrado em Políticas Sociais e Dinâmicas Regionais da Unochapecó. 

Luciane também exerceu vários cargos junto à administração municipal onde se destaca o cargo de Secretária Municipal de Defesa do Cidadão e Mobilidade Urbana. Antes, a candidata já havia ocupado a secretaria e a gerência de Habitação e a Coordenadoria de Defesa do Consumidor. 

No Governo do Estado de Santa Catarina, ela foi Diretora Geral da Secretaria do Desenvolvimento Regional de Chapecó e Consultora Jurídica. 

Na Câmara Municipal local, exerceu o cargo de Assessora Parlamentar. Entre os anos de 1997 e 1999, foi secretária do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Carnes e Derivados de Chapecó e em 1995, secretária da Força Sindical. 

Na vida política, em 2010 também pelo PTB, foi candidata a deputada federal. 


Nilson Carniel

Nilson Carniel, natural de Coronel Freitas, casado com Isabel Carniel, pai de Deivyd. Tem 47 anos, pós graduado em administração, tem MBA em manufacturing e está há 29 anos inserido no mundo do agronegócio. 

    Atualmente trabalha com planejamento de produção corporativa. 

Márcio Sander e Hanauer: “Chapecó sempre em frente”

O PSDB foi mais um partido que, após conversações, optou pela disputa da prefeitura com chapa pura. Márcio Sander foi o nome escolhido pelo partido e destacou: “Conquistei esse espaço pois me preparei, me propus a aprender.” 


Márcio Ernani Sander

Márcio Ernani Sander nasceu em Chapecó, tem 53 anos, é pai de Enzo e Bruno.  

É administrador, professor universitário, consultor e corretor de imóveis. Também é especialista em Geografia Regional, Gestão Ambiental, Direito Tributário e Controladoria. 

Na vida pública, foi vereador por seis mandatos e presidiu a Câmara de Vereadores por quatro oportunidades. Além disso, foi Coordenador Geral da Efapi nas edições de 2011 e 2017. Membro do Conselho Consultivo da SAC, e de outros quatro Conselhos Municipais. Presidiu a Comissão Especial de Revisão do Plano Diretor de Desenvolvimento Territorial de Chapecó – PDDTC. Foi ainda Secretário Municipal da Juventude e Lazer; de Pesquisa e Planejamento e de Desenvolvimento Econômico e Turismo (por duas vezes). 

Márcio Sander iniciou sua trajetória política no PP. Em 2005 filiou-se ao PR (que passou a chamar-se PL) e em abril de 2020 filiou-se ao PSDB.  


Milton José Hanauer

  Milton José Hanauer nasceu em Planalto (RS) em 1962, tem dois filhos Kewin e Guido Leopoldo. É Técnico agrícola, médico veterinário, pós-graduado em administração rural, funcionário público federal e foi professor no Senai. Ex-presidente da Associação Chapecoense de Futebol. 

Em 1996 foi o vereador mais votado  pelo partido, porém, não chegou assumir por falta de legenda.

Hanauer concorreu a Deputado Estadual no ano de 1998. 

Em outubro de 2019, após 37 anos, Hanauer se aposenta como fiscal Federal Agropecuário. 

Professor. Antônio e Jefferson Kuszkowski: “Com o povo”

A chapa “Com o Povo” é das chamadas “puras”, pois tem candidato à prefeito e vice do mesmo partido, o PSOL e, em teoria, compartilham da mesma ideologia. Na cabeça, Antônio Valmor  De Campos, 56 anos, natural de Machadinho/RS, possui vasto currículo na área da docência. 


Professor. Antônio

Professor do magistério superior, atua na Universidade Federal Fronteira Sul – Campus Chapecó, no Domínio Conexo nos cursos de Licenciatura.  Doutor em Geografia pela Universidade Federal de Santa Maria/RS. Mestrado em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos, graduação em Ciências e Matemática e Licenciatura Plena em Ciências Biológicas pela Fundação Educacional do Alto Uruguai Catarinense, graduado em Direito pela Universidade Regional Integrada Campus Frederico Westphalen. 

Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Público, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, interdisciplinaridade, movimentos sociais, meio ambiente, direito constitucional e direito ambiental. 

Em sua trajetória política, sempre pelo PSOL, Antônio foi Vereador do Município de Maravilha no ano 2000. Em 2002 concorreu a deputado estadual, ficando suplência com 5.738 votos. Em 2018 concorreu ao Senado. 


Jefferson Kuszkowski

Jefferson Kuszkowski, gaúcho de Presidente Getúlio, tem 36 anos e atua como secretário sindical. 

Acadêmico do Curso de Licenciatura em História pela UFFS, campus Chapecó, trabalhou na iniciativa privada nas áreas administrativas, de Recursos Humanos e Qualidade. Ingressou em Administração pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci, interrompendo a matrícula ao final do quarto semestre. Atualmente, integra o Laboratório de Estudos Medievais na UFFS.

Vignatti e Pedro Uczai: “Frente de oposição”

No PSB desde março de 2020, Claudio Vignatti, 53 anos, é catarinense de Cunha Porã, casado e pai de dois filhos.  Formado no ensino médio pelo Colégio Cenecista, em Palmitos (SC). 


Claudio Vignatti

Seu primeiro cargo público foi de técnico em administração na Prefeitura de Chapecó, em 1988.  

Fundador e Presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Chapecó e Região, também foi coordenador da entidade. Vignatti também foi Presidente da Associação de Moradores do Bairro Santo Antônio e Presidente do Conselho Municipal de Saúde. 

Em 1993, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores/SC, sendo presidente do Diretório Municipal de Chapecó e Presidente Estadual do partido.  

Pelo PT, elegeu-se Vereador em Chapecó, em 1996, sendo líder do Governo na Câmara. Em 2000, reelegeu-se Vereador. Na eleição de 1998, foi suplente de Deputado Federal, elegendo-se somente em 2002. 

Em 2004, foi o segundo colocado nas eleições municipais. No ano de 2006, reelegeu-se Deputado Federal, na Câmara, integrou o Núcleo Agrário do PT, articulou a Frente Parlamentar da Juventude e a Política Nacional da Juventude e presidiu a Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa. 

No ano de 2010 recebeu o título de Cidadão Honorário de Chapecó, nesse mesmo ano, foi o terceiro mais votado para uma cadeira no Senado, porém não se elegeu. Ainda pelo PT, em 2014, foi o terceiro colocado na disputa pelo governo do Estado. Em 2015, foi Diretor Financeiro da Eletrosul, atualmente, realiza consultoria fiscal e tributária. 


Pedro Uczai

Professor e Mestre, Pedro Uczai, 57 anos, natural de Descanso/SC, é casado e pai de dois filhos. 

Filiado ao PT desde 1989, tornou-se uma figura de destaque da legenda, sendo presidente de seu diretório municipal e estadual. Deputado Estadual por três mandatos, foi vice-prefeito e prefeito de Chapecó. 

Pela terceira vez elegeu-se Deputado Federal, no mandato atual, participa como titular e suplente, de diversas Comissões Parlamentares de Inquérito – destacando-se a de Práticas Ilícitas no Âmbito do BNDES.