Segunda maior universidade pública do país pode paralisar serviços a comunidade

Em nota, a universidade destaca que déficits acumulados nos últimos anos dificultam a prestação de serviços.

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), anunciou que poderá suspender, ainda este mês, a oferta de serviços à população, como, por exemplo, parte do atendimento no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, na Ilha do Fundão (RJ). Em nota, a universidade destaca que déficits acumulados nos últimos anos mais o contingenciamento de verbas, anunciado recentemente pelo governo federal, dificultam a continuidade dos serviços.

A universidade informa que em custeio a previsão orçamentária para 2019 somava R$331,65 milhões e só foi disponibilizado até o momento R$169,84 milhões. Na rubrica de investimento, do total previsto de R$9,15 milhões, a universidade acessou R$1,25 milhões.

O pagamento das bolsas estudantis está mantido e a universidade reduziu despesas com atividades acadêmicas que envolvem viagens, suspendeu a distribuição de verba para as unidades internas via orçamento participativo e redimensionou os investimentos previstos para o ano.

O Ministério da Educação informou que liberou R$ 187,1 milhões de limite de empenho para o orçamento discricionário da UFRJ este ano, sendo R$ 16 milhões na manhã segunda-feira (05).

O MEC afirma que o contingenciamento não tem “impacto imediato sobre o orçamento das instituições” e que mantém diálogo permanente com os dirigentes das universidades e institutos.