VÍDEO: Cão com deficiência é abandonado duas vezes no mesmo dia

Após os abandonos, ele apresenta quadro depressivo

Informações: Gaúcha ZH


Foto: Divulgação / Secretaria de Proteção Animal de São Leopoldo

Um cão foi abandonado duas vezes no mesmo dia em São Leopoldo (RS), na quinta-feira (02). Ele não tem raça definida e possui uma deficiência nas patas dianteiras. Ele está na Secretaria Municipal de Proteção Animal (Sempa), onde foi acolhido e aguarda por adoção.

De acordo com o secretário de proteção animal, Anderson Ribeiro, um homem entregou o animal ao Sempa e disse tê-lo encontrado na rua. Ele estava com coleira e em bom estado. Anderson usou suas redes sociais para fazer postagens com as imagens do animal, com o objetivo de descobrir quem ele poderia ser.

Na postagem, uma pessoa de Balneário Camboriú indicou que o cachorro se chamava Tintim e que pertencia a um funcionário da empresa de ônibus. O secretário entrou em contato com a esposa do homem, que alegou ser proprietária do cachorro, mas que o marido abandonou o animal após uma briga de casal.  Na empresa, colegas do tutor do cão relataram que, na verdade, o caso envolvia dois abandonos.

Em um vídeo enviado anonimamente à prefeitura nesta sexta-feira (03), a tutora do animal é flagrada ao retirar o cachorro de seu carro e ir embora. O vídeo é de uma câmera de monitoramento. 


Ribeiro registrou boletim de ocorrência  e pretende denunciar o casal ao Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP/RS), além de propor que a Secretaria do Meio Ambiente de São Leopoldo aplique sanção por maus tratos do animal. Junto ao vídeo, será entregue um laudo feito por um médico veterinário na sede da Sempa, que mostra que Tintim estava bem nutrido e hidratado, mas apresentava escoriações no queixo e na pata traseira e um quadro depressivo.

Ele busca adotantes para o cachorro.Dez pessoas já se apresentaram como interessadas e serão entrevistadas na segunda-feira (6). De acordo com informações da GaúchaZH,casal foi à sede da secretaria e nega ter abandonado o cãozinho. O pedido da dupla, de que a tutela do cachorro fosse reavida, foi negada pelo secretário.

A Lei Federal de Crimes Ambientais prevê detenção de três meses a um ano e multa para quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais.