Monitoramento do Mapa indica que nuvem de gafanhotos não entrou no Brasil

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, apesar dos indicativos, o alerta continua; SC e RS seguem em ‘emergência fitossanitária’

Foto: Reprodução/Governo de Córdoba

Informações Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)

O monitoramento feito pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) indica que, até o momento, estão mantidas as previsões sobre a rota da nuvem de gafanhotos, que não entrou em território brasileiro. As informações foram divulgadas na noite desta quinta-feira (25), pela Pasta.


Veja: Vídeo: Nuvem de gafanhotos chega à Argentina e pode chegar ao Oeste de Santa Catarina


Conforme o Mapa, o trabalho segue em ritmo de alerta em conjunto com as equipes técnicas das Superintendências Federais de Agricultura e dos órgãos estaduais de Defesa Agropecuária nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, além de unidades federais de vigilância agropecuária localizadas na fronteira com o Rio Grande do Sul.

A portaria divulgada nesta quinta-feira pelo Mapa, que declarou estado de emergência fitossanitária no RS e em SC tem caráter preventivo. Além disso, essa medida visa permitir uma mobilização mais ágil de recursos humanos e financeiros para promover eventual controle da praga.

O Mapa divulgou também nesta quinta-feira um manual técnico de orientações sobre as ações de controle da praga adaptado às condições do Brasil, respaldado por dados científicos, com a devida capacitação dos agentes envolvidos num eventual surto da praga no país.

De acordo com os dados meteorológicos para a Região Sul do Brasil, previstos para os próximos dias, é pouco provável – até o presente momento – que a nuvem avance em território nacional. Caso isso ocorra, será feito um monitoramento interno para o acompanhamento da evolução do evento.