Mãe de ator Rafael Miguel foi morta ao abraçar filho para tentar protegê-lo de tiros - ClicRDC | Notícias de Chapecó e do mundo

Mãe de ator Rafael Miguel foi morta ao abraçar filho para tentar protegê-lo de tiros

Ator e os pais foram mortos no domingo (9); Rafael fez o papel de Paçoca, na novela Chiquititas do SBT

Informações GaúchaZH

Rafael Henrique Miguel tinha 22 anos
Foto: Redes sociais / reprodução

Nesta terça-feira (11) um policial que investiga a morte do ator de Chiquititas, Rafael Miguel, de 22 anos e seus pais confirmou que a mãe do ator foi morta ao tentar proteger o filho dos tiros. Ela abraçou Rafael e foi assassinada sobre o corpo dele. Em seguida, o acusado, um comerciante, matou a tiros o pai do jovem e fugiu. O crime ocorreu no domingo (9) no bairro Pedreira, em São Paulo. As informações são de GaúchaZH. 

Paulo Cupertino Matias, 48 anos, pai da namorada do ator, é acusado de matar a tiros o jovem e seus pais, Miriam Selma Miguel, 50 e João Alcisio Miguel, 52, no momento em que eles chegaram em frente à casa da família dela. O motivo do crime seria ciúmes da filha.

Em depoimento na segunda-feira (10), Isabela Tibcherani Matias, 18, afirmou que o pai mantinha uma arma de fogo em casa há anos. Ela também afirmou que o pai descobriu o namoro, em 2018, após ler mensagens trocadas entre o jovem casal.

Isabela disse ainda que o pai proibiu o relacionamento, ele alega que o ator não era “uma pessoa de bem” apesar de “nunca ter conhecido ele pessoalmente”. Por conta da proibição, o casal teria rompido o namoro por cerca de oito meses. Eles reataram o relacionamento, segundo a polícia, um dia antes do crime.

Isabela e Miguel se encontraram, instantes antes do triplo homicídio, em uma praça, perto da casa da namorada, de acordo com o depoimento. 

Os pais do ator foram os buscar dois e os levar à residência de Isabel, ainda segundo o relato dela. Ao chegarem na residência, o acusado se aproximou e quando os pais de Miguel tentaram conversar, ele matou os três e fugiu.

Investigações

A polícia encontrou, por volta das 16h desta terça-feira (11) na Rua Batista Maciel, na zona Sul da capital paulista, o carro que teria sido usado na fuga pelo comerciante acusado de matar o ator de 22 anos e os pais do jovem. O caso é investigado pelo 98º DP (Jardim Miriam).

O Volkswagen/Up vermelho é um veículo clonado, segundo a polícia e foi localizado a cerca de 21 quilômetros de distância do local onde ocorreu o triplo assassinato. 

Policiais civis e militares realizaram buscas na zona sul da capital paulista, além de em Embu Guaçu (Grande SP). Segundo informações de GaúchaZH, Matias conta com uma extensa ficha criminal. Ele foi indiciado por nove crimes, ocorridos entre 1990 e 1999.

Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), Matias cumpriu pena, por assalto a um carro forte, na Penitenciária de São Vicente (93 km de SP), no litoral, entre setembro de 1993 e dezembro de 1994.