OUÇA AO VIVO

InícioGERALJúri popular de acusada de matar grávida para roubar bebê tem data...

Júri popular de acusada de matar grávida para roubar bebê tem data marcada

Saiba quando será o júri

Foto: Miriany Farias/Arquivo O Município

O juízo da Vara Criminal da comarca de Tijucas marcou a data, o horário e o local para o julgamento da mulher acusada de matar uma professora de 24 anos, para retirar um bebê de seu ventre, em agosto de 2020, em Canelinha. O magistrado José Adilson Bittencourt Júnior marcou a sessão do Tribunal do Júri para o dia 20 de outubro de 2021, às 8h, na Câmara de Vereadores do município de Tijucas. Todos os presentes deverão utilizar máscaras, manter o distanciamento e a higiene das mãos, além dos protocolos da Diretoria de Saúde do Judiciário catarinense.

Em função da pandemia da Covid-19, o acesso à sessão será restrito. Apenas as partes, as testemunhas, os jurados, os advogados, os membros do Ministério Público, os agentes de segurança, os auxiliares da Justiça e os defensores públicos inscritos para o julgamento terão a entrada permitida. Caberá ao magistrado decidir pela possibilidade de acesso dos familiares da vítima e da acusada.

A mulher, que aguarda o andamento do processo presa, será julgada pelo crime de homicídio contra a “amiga”. Ela também responderá por tentativa de homicídio contra o bebê, subtração de incapaz, parto suposto, fraude processual e ocultação de cadáver. Os crimes contra a vida são qualificados por motivo torpe, meio cruel, traição, para ocultar outro crime e por ser contra uma mulher.

- Continua após o anúncio -

Segundo a denúncia do Ministério Público (MP), a acusada planejou a morte da “amiga” para ficar com o bebê, porque simulava uma gestação no mesmo período. Então, a acusada convidou a vítima para um chá de bebê, mas a levou para uma cerâmica desativada. Ainda de acordo com a investigação, a gestante foi golpeada por tijoladas e ficou desacordada. Após, a acusada teria pego um estilete e retirado o bebê do ventre da vítima, que morreu de hemorragia.

A acusada teria ligado para o marido e informado sobre a suposta gestação fora de hora. Todos foram para o hospital de Tijucas, onde foi constatada a falsa gestação da acusada. O MP chegou a oferecer denúncia contra o marido da acusada, mas depois entendeu pela improcedência do pleito.

Publicidade

Notícias relacionadas

SIGA O CLICRDC

123,931FansLike
45,000FollowersFollow
59,940FollowersFollow
6,620SubscribersSubscribe