1º de maio de 1994: 25 anos da morte de Ayrton Senna

Ayrton Senna segurando um modelo em escala de 1: 64 de seu primeiro carro campeão do mundo de F1 – um McLaren MP4 / 4 ((C) Suttom Images)

Há 25 anos, no dia 1 de maio de 1994, morreu o piloto brasileiro de Fórmula 1, Ayrton Senna da Silva, aos 34 anos. Ele faleceu ao participar da terceira corrida da temporada, o GP de San Marino, em Ímola, na Itália.

Senna fez a terceira melhor volta da corrida, seguido por Michael Schumacher. Ele entrou na curva Tamburello e perdeu o controle do carro devido a uma barra de direção quebrada. Seguiu reto e bateu violentamente contra o muro de concreto. A telemetria mostrou que Senna, ao notar o descontrole do carro, ainda conseguiu, nessa fração de segundo, reduzir a velocidade de cerca de 300 km/h (195 mph) para cerca de 200 km/h (135 mph).

Logo após o acidente, por um momento a cabeça de Senna se mexeu levemente, e o mundo, que assistia pela TV, imaginou que ele estivesse bem, mas esse movimento havia sido causado por um profundo dano cerebral.

Senna foi removido de seu carro pelo Professor Sid Watkins, neurocirurgião de renome mundial pertencente aos quadros da Comissão Médica e de Segurança da Fórmula 1 e chefe da equipe médica da corrida, e recebeu os primeiros socorros ainda na pista, ao lado de seu carro destruído, antes de ser levado de helicóptero para o Hospital Maggiore de Bolonha onde, poucas horas depois, foi declarado morto. O sepultamento aconteceu no dia 5 de maio, no Cemitério do Morumbi, em São Paulo.

Senna

Ayrton Senna foi um piloto brasileiro de Fórmula 1, três vezes campeão mundial, nos anos de 1988, 1990 e 1991. Foi também vice-campeão no controverso campeonato de 1989 e em 1993. Sua morte, assim como o funeral e velório, provocou uma das maiores comoções da história do Brasil, bem como repercussão mundial.

Em 2012, foi eleito pela rede BBC o melhor piloto de todos os tempos. Em 1999, foi eleito pela revista Isto É, o esportista do século XX no Brasil. Também é reputado como um dos maiores esportistas do mundo no século XX. No auge de sua carreira, era considerado, segundo pesquisas, como o maior ídolo do Brasil.

Carreira

Senna começou sua carreira competindo no Kart em 1973. Iniciou sua carreira em “carros de fórmula” em 1981, onde se sagrou campeão de Fórmula Ford 1600 e 2000. Em 1983 alcançou o título de campeão do Campeonato Britânico de Fórmula 3 batendo vários recordes.

Seu desempenho na Fórmula 3 impulsionou sua ascensão à Fórmula 1, fazendo sua primeira aparição na categoria no Grande Prêmio do Brasil de 1984 pela equipe Toleman-Hart. Em sua primeira temporada, Senna conseguiu pontuar em 5 corridas, fechando o ano com treze pontos e a 9ª posição na classificação geral dos pilotos. No ano seguinte, trocou a Toleman-Hart pela Lotus-Renault, equipe pela qual venceu seis “Grand Prix” ao longo de três temporadas.

Em sua carreira disputou 229 corridas – exceto as de kart – conseguindo 90 vitórias, 139 pódios, 97 pole positions e 66 voltas mais rápidas. Na Fórmula 1 foram 161 GPs, com 41 vitórias, 80 pódios, 65 pole positions e 19 voltas mais rápidas. Já no Grande Prêmio do Brasil de F1 alcançou seis poles e quatro pódios, sendo duas vitórias, em 1991 e 1993, um segundo lugar em 1986 e por fim, um terceiro lugar em 1990.

Fonte: Wikipédia