Idosa que atropelou Taís disse que não lembra do acidente

Polícia Civil investiga o caso e aguarda os resultados dos exames médicos feitos pela motorista

A Polícia Civil está investigando o acidente que matou a jovem Taís Wengenovicz, de 22 anos e feriu outra mulher de 21 anos, no dia 22 de novembro deste ano, na Avenida Getúlio Vargas, no Centro de Chapecó (SC).

Segundo o delegado de polícia, Luiz Schaeffer, na última segunda-feira (3) foram ouvidas as duas mulheres envolvidas na colisão que antecedeu o atropelamento, os policiais que atenderam a ocorrência e a vítima que sobreviveu.

Em depoimento ao delegado, condutora de 73 anos do veículo VW/Bora, que provocou o atropelamento, disse que não recorda dos fatos e que teria tido uma espécie de amnésia.

O delegado disse que ela realizou exames médicos para confirmar se teve algum problema de saúde na ocasião, os quais serão anexados ao inquérito policial que apura o caso.

Schaeffer afirma que aguarda o resultado dos exames e também dos laudos periciais para conclusão do inquérito, que deve acontecer na próxima semana.

Relembre

Por volta das 15h35 do dia 22 de novembro, houve uma colisão lateral entre um GM/Celta e um VW/Bora no cruzamento entre a rua Barão do Rio Branco com a Avenida Getúlio Vargas.

Com a batida, a motorista do Bora, uma senhora de 73 anos, teria perdido o controle do veículo e invadiu o passeio público, onde tinha várias pessoas sentadas próximo a uma lanchonete. As duas jovens foram atropeladas, mas Taís foi jogada contra a parede do estabelecimento e sofreu ferimentos graves.

A estudante de Direito ficou seis dias internada na Unidade de Terapia Intensiva  (UTI) do Hospital Regional do Oeste (HRO) e faleceu na manhã de quarta-feira (28). A outra jovem recebeu alta médica no mesmo dia do atropelamento.