Rivalidade entre facções motiva homicídio em Chapecó, revela delegado - ClicRDC | Notícias de Chapecó e região

Rivalidade entre facções motiva homicídio em Chapecó, revela delegado

Delegado Vagner Papini – Foto: Willian Ricardo/ClicRDC

A Divisão de Investigação Criminal (DIC), da Polícia Civil, elucidou o quarto homicídio registrado em 2019, em Chapecó/SC. Flávio Telan, de 33 anos, foi assassinado a tiros no bairro Paraíso, por volta das 00h30 do dia 27 de janeiro. Dois adolescentes foram detidos e um homem foi preso.

Em entrevista coletiva na Delegacia Regional, o delegado de polícia Vagner Tiago Ramos Papini, contou detalhes sobre o crime. Segundo ele, no início a equipe de investigação teve dificuldade em colher testemunhas sobre os fatos, mas uma pessoa aceitou contar detalhes, informalmente, sobre a morte do homem.

Diante das informações passadas pela testemunha, a polícia identificou um dos suspeitos do homicídio, que é um adolescente de 16 anos. Ainda segundo Papini, o menor foi capturado e confessou o crime, além disso, apontou a participação de outras duas pessoas: um de 16 e um rapaz, maior de idade.

O delegado afirma que, com a continuidade da investigação, a DIC conseguiu capturar o segundo adolescente, que também assumiu a autoria do crime. Além disso, descobriu que o homem, o qual foi apontado pelo primeiro menor, não possuía participação no assassinato.

Com auxílio de outra testemunha, os investigadores descobriram que houve a participação de um rapaz, de 19 anos, que atualmente está preso no município de Caçador/SC, também por homicídio.

O adulto foi indiciado por três crimes: homicídio duplamente qualificado, por porte ilegal de arma de fogo e corrupção de menores. Ele permanece preso e os adolescentes internados.

Dinâmica do crime

O delegado conta que os suspeitos e a vítima passaram o dia bebendo. “Tinham a intenção de embebedar a Flávio e ganhar a confiança dele”.

Segundo Papini, após beberem, todos foram para um estabelecimento onde ocorria uma festa, no mesmo bairro. Um dos adolescentes teria convidado Flávio para matar outro cidadão. “Ele teria aceitado e saído do bar. Ocorre que, durante o trajeto, um dos menores disse para a vítima, ‘entra nesse carreirinho que logo eu vou’, a partir do momento que o homem entrou no local, os outros dois indivíduos já esperavam o rapaz”, concluiu o delegado.

Flávio foi assassinado “por meio de uma emboscada com três disparos de uma arma de fogo, calibre .38, que não foi apreendida pois foi dispensada por um dos adolescentes logo após o crime”, lembrou o delegado.

Motivação

Papini afirma que, conforme apurado e documentado, a motivação do crime trata-se de uma rivalidade entre duas facções que atuam em Santa Catarina.  “A vítima pertencia a uma facção e os autores a outra”. Eles já se conheciam há um bom tempo e moravam no mesmo bairro.

Segundo o delegado, além da motivação preponderante, a morte teria sido para evitar que “membros da outra facção ganhassem respaldo dos moradores da localidade, com isso, ganhassem espaço”, concluiu.