DEIC realiza busca e apreensão em empresa de Chapecó - ClicRDC | Notícias de Chapecó e do mundo

DEIC realiza busca e apreensão em empresa de Chapecó

A investigação é da Divisão de Defraudações de Florianópolis.

Foto: Willian Ricardo/ClicRDC


Uma fábrica de capas para celular, localizada no bairro Santos Dumont, acesso ao Aeroporto, em Chapecó, é alvo de uma operação de busca e apreensão. A operação foi realizada manhã desta terça-feira (26), pela Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC) da Polícia Civil de Florianópolis (SC).

De acordo com o Delegado Raphael Souza Werling de Oliveira, foi cumprido um mandado de busca e apreensão expedido pela 1ª Vara Criminal de Chapecó, em razão de uma investigação policial da Divisão de Defraudações da DEIC, em relação à falsificação e comercialização de produtos de quatro marcas bastante conhecidas, sem a autorização dos reais proprietários das marcas.

Ainda de acordo com o delegado responsável, foram apreendidos na empresa computadores, impressoras e maquinários que passarão por uma perícia, e em seguida dará continuidade à investigação.

Em entrevista ao ClicRDC,  o Delegado Raphael conta mais detalhes dos trabalhos:


O caso foi registrado na Central de Plantão de Polícia (CPP) de Chapecó e será remetido à Florianópolis, onde continuarão as investigações.

CONTRA PONTO 

Ainda durante a manhã desta terça-feira, o ClicRDC conversou com um dos advogados da empresa que acompanhava os trabalhos da Polícia no local, mas não falou sobre o assunto com a imprensa. O ClicRDC também entrou em contato com o empresário responsável pela empresa, que informou que falaria mais tarde sobre o assunto. 

No início da noite desta terça-feira, o empresário Fabiano André Aroldi, responsável pela fabrica onde  a Polícia Civil  realizou busca e apreensão, se manifestou através do perfil da empresa em uma rede social. 

De acordo com o empresário, a Polícia apreendeu, no centro de distribuições, quatro marcas de produtos que não são fabricados na empresa, na qual ele é proprietário. “São produtos que nós adquirimos sim, através de nota fiscal de outras distribuidoras. Temos notas ficais desses produtos.” – explicou o empresário.

Fabiano disse ainda que vai colaborar com as investigações da Polícia Civil “A Polícia vai investigar se essas outras distribuidoras tem a autorização para comercializar o produto e nós vamos colaborar em tudo o que for possível e, em tudo o que for necessário”. – enfatizou Aroldi.

“Essa empresa é maravilhosa, é transparente e vai continuar sendo. Se tivermos que mudar alguma coisa, nós vamos mudar, porque nós somos do bem e queremos continuar fazendo o bem da forma correta.”– concluiu o empresário.

Atualizada às 15h04min de 26/09/2017