Transplantes em Santa Catarina aumentam 86% em 10 anos - ClicRDC | Notícias de Chapecó e do mundo

Transplantes em Santa Catarina aumentam 86% em 10 anos

Entre janeiro e setembro de 2018, foram feitos 864 transplantes de órgãos e tecidos

O número de transplantes em Santa Catarina aumentou 86% na última década, segundo o levantamento feito pela SC Transplantes, com dados da Central Estadual de Transplantes do estado. Em 2017, foram feitas 1.217 cirurgias. Em 2008, 654.

Somente neste ano, entre janeiro e setembro de 2018, foram feitos 864 transplantes de órgãos e tecidos, que equivale a 70% do total do mesmo período de 2017. O total de pacientes em lista de espera por um órgão chegou a 468 em setembro.

A cidade com maior número de transplantes neste ano foi Joinville, com 257 procedimentos nos últimos nove meses.

A colaboração das famílias aumentou significativamente. Em 2007, sete em cada dez famílias dizam “não” à doação de um parente. Atualmente, são três de cada dez, segundo a SC Transplantes.

Procedimento nos hospitais
Conforme a SC Transplantes, o Hospital Municipal São José de Joinville efetivou neste ano 22 doações entre 37 notificações de morte encefálica. Em 2017, foram 28 doações de órgãos. O Hospital Santa Isabel, de Blumenau, fez 22 transplantes entre 31 potenciais doadores.

Segundo a SC Transplantes, o modelo catarinense de transplante segue procedimentos usados no sistema espanhol, com coordenadores hospitalares e profissionais de saúde que buscam por doações em caso de morte encefálica, dentro dos hospitais.

Para transplantar um coração, fígado ou pulmão, é preciso que o órgão seja doado antes da parada cardiorespiratória. Os profissionais fazem a confirmação da morte encefálica, triagem e entrevista familiar.

A lista de espera pela doação de um órgão, até setembro deste ano, era de 314 pacientes por um rim, 60 por medula óssea, 78 por córnea, 15 por fígado e um por rim.

Informações G1.