"Não há surto de Meningite em Chapecó" - Fernanda Moschetta - ClicRDC | Notícias de Chapecó e do mundo

“Não há surto de Meningite em Chapecó” – Fernanda Moschetta

.

Foi confirmada a primeira morte por meningite bacteriana em Chapecó. De acordo com a Vigilância Epidemiológica, a  vítima foi um homem de 22 anos, no final do mês de agosto.

De acordo com a enfermeira epidemiologista, Fernanda Moschetta, outro caso de morte onde exames clínicos constataram meningococemia. Ainda de acordo com a profissional há outros três casos de pessoas internadas com os sintomas da doença. 

Em entrevista para o apresentador Pedro Viana, da Rádio Super Condá, a enfermeira confirmou que não há surto da doença na cidade, já que não há indícios de que houve contato entre nenhum dos pacientes suspeitos e os casos de óbito. 

Os principais sintomas da meningite são dor de cabeça, vômito, febre alta, dor na nuca e manchas vermelhas pelo corpo. Moschetta orienta que caso haja os sintomas da doença, é necessário buscar atendimento médico imediatamento, já que a evolução da meningite ocorre de forma rápida e pode levar ao óbito. 

Confira a entrevista:

No final da manhã desta quarta-feira, a Secretaria de Saúde de Chapecó emitiu uma nota sobre o assunto:

“O setor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde do município de Chapecó informa que todos os casos de meningite registrados até o momento não apresentam vínculo epidemiológico entre si e, portanto, não caracterizam surto da doença.

Em 2017, até o dia 05 de setembro foram confirmados 16 casos de meningite em geral, sendo sete casos virais, oito bacterianas e um óbito por meningocóccemia confirmado em diagnóstico clínico e laboratorial.

Em relação ao óbito confirmado no município, foram realizadas todas as medidas preconizadas pelo guia de Vigilância Epidemiológica, bem como o controle de possíveis contatos e suspeita de casos novos.

Esclarecemos que a Secretaria de Saúde de Chapecó está em permanente vigilância juntamente com o estado e todas as medidas de bloqueio e controle estão e continuarão sendo adotadas.