Oito candidatos tiveram apenas um voto

Eles tentaram se eleger ao cargo de deputado estadual

Enquanto nomes como Eduardo Bolsonaro e Janaina Paschoal obtiveram votação recorde nas eleições deste ano, outros tiveram desempenho oposto. No país, oito candidatos dividem o posto de menos votados no primeiro turno, cada um com apenas um voto. Eles tentaram se eleger ao cargo de deputado estadual, sendo três por Pernambuco, dois pelo Amapá, dois pelo Acre e um por Amazonas.


O comum seria imaginar que o voto que cada um desses candidatos recebeu seria o deles próprios, mas pelo menos sete não votaram em si mesmos. De acordo com os dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o único voto desses sete não veio da seção eleitoral onde eles votam.

Em Pernambuco, a candidata Rose Ferreira (PRP) foi uma das que teve apenas um voto. Ela vota na seção 0392 da zona 117 de Olinda, mas seu voto não veio de lá. No boletim de urna aparecem três candidatos do PRP a deputado estadual que receberam votos vindos daquela seção: Paulinho Tomé, Enéas Freitas e Israel Guerra. Nenhum desses votos foi para o número 44551, o de Rose – nem o dela.

Já a candidata Rosa Maria (PPS) vota na seção 0148 da zona 006 de Recife. No local, o PPS teve apenas um voto para um candidato a deputado estadual, Dédinho. O mesmo aconteceu com Diana Silva (PRP), que vota na seção 0071 da zona 088 do município de Salgadinho, a cerca de 80 km de Recife. O partido recebeu dois votos para deputado estadual, mas ambos foram para a candidata Adriana Delícia.

No Acre, a situação se repetiu com Janayra Vasconcelos e Victor Mesquita, ambos do DC. Janayra vota na seção 0143 da zona 009 de Rio Branco. A seção teve 11 votos para candidatos a deputado estadual pelo partido, mas eles se dividiram entre João Batista, Afonso, Pastor Orleilson e Edi Celular. Victor, por outro lado, é eleitor da seção 0744 da zona 001 da capital acreana. A urna em que ele votou registrou 8 votos para candidatos a deputado estadual do DC, divididos entre Ceará da Carne de Sol, Lauro Junior, Danilva Lima, Afonso e Edi Celular.

 

*Com informações Jovem Pan