Dono da JBS grava Temer dando aval para compra de silêncio de Cunha

Em uma gravação com Temer, Joesley Batista diz que está pagando pelo silêncio de Cunha e o presidente fala: -“Tem que manter isso”.

Joesley disse na delação que pagou R$ 5 milhões para Eduardo Cunha após sua prisão na Lava Jato. (O Globo)

Conforme informação dada em primeira mão pelo portal O Globo, o empresário Joesley Batista, dono da JBS, em uma delação premiada à Procuradoria Geral da República, entregou uma gravação de março deste ano, em que o Presidente Michel Temer indica o deputado Rodrigo Rocha Loures, do PMDB do Paraná, para resolver uma assunto da JBS. Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil, enviados por Joesley.

Em uma outra gravação, também feita em março, o empresário fala para Michel Temer, que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lucio Funaro uma mesada para que permanecessem calados na prisão.
Diante dessa informação, Temer diz, nessa mesma gravação: “-Tem que manter isso, viu?”

Na mesma delação de Joesley, o Senador Aécio Neves, presidente do PSDB, é gravado pedindo R$ 2 milhões. A entrega do dinheiro ao primo de Aécio também foi filmada.

Joesley revelou ainda que realizou o pagamento de R$ 5 milhões para Eduardo Cunha após sua prisão. O dinheiro seria referente a um saldo de propina que o peemedebista tinha com ele. Disse também que devia R$ 20 milhões pela tramitação de lei sobre a desoneração tributária do setor de frango.

Até às 20h30 da noite desta quarta-feira (17), nem Temer e nem Aécio haviam se manifestado sobre o assunto.