‘Tremendo sucesso’, diz Trump após eleição de meio de mandato nos EUA

Partido do presidente perdeu maioria na Câmara e manteve maioria no Senado

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quarta-feira (7) que as eleições de meio de mandato foram um “tremendo sucesso”. O comentário foi feito no Twitter, horas depois do fechamento das urnas, antes mesmo da apuração oficial terminar e mostrar que os republicanos mantiveram a maioria no Senado, mas perderam a maioria da Câmara dos Representantes para os democratas.

“Tremendo sucesso nesta noite. Obrigado a todos!”, tuitou.

Mais tarde, em coletiva de imprensa na Casa Branca, Trump parabenizou muitos dos republicanos que foram eleitos, mas também citou os nomes de alguns que, segundo ele, não conseguiram vencer porque não o apoiaram durante a campanha.

“Alguns decidiram por razões deles não apoiar – seja eu ou o que defendemos. Eles foram muito mal”, disse.

Na mesma coletiva, o presidente disse que espera trabalhar junto com os deputados democratas – que agora são maioria – e que o Congresso pode se unir, principalmente em temas como infraestrutura e saúde.

Por outro lado, Trump afirmou que não vai cooperar com os democratas da Câmara caso deem início a investigações contra ele. Esse assunto vem à tona agora, já que há especulações de que a maioria democrata na Câmara possa abrir investigações sobre uma suposta violação por Trump das leis de financiamento eleitoral e sobre as declarações de imposto de renda do presidente e, até, um eventual processo de impeachment contra ele.

“Se isso ocorrer (e me investigarem), vamos fazer o mesmo e o governo será paralisado. E isso provavelmente será melhor para mim politicamente, porque sou melhor nesse jogo do que eles”, afirmou.

Em outro comentário postado no Twitter, Trump voltou a atacar a impensa americana, dizendo que a “grande vitória” aconteceu sob pressão “de uma mídia desagradável e hostil”.

O presidente dos EUA também afirmou que ter recebido cumprimentos de outros países interessados em acordos comerciais. “Agora nós podemos voltar ao trabalho e fazer as coisas!”, escreveu.

Resultados

O resultado da eleição foi uma derrota parcial para o governo Trump, já que o Partido Democrata, que faz oposição a ele, ganhou maioria na Câmara. Mas no Senado, o Partido Republicano, do presidente, manteve a maioria das cadeiras.

As “midterms”, eleições de meio de mandato, são consideradas umas espécie de plebiscito sobre o governo. Até agora, os republicanos mantinham maioria nas duas casas, o que facilitava a aprovação da agenda presidencial.

Todas as 435 cadeiras da Câmara estavam em disputa, e um partido precisava de 218 eleitos para garantir a maioria. Para os democratas, isso significava ter que “roubar” 24 postos de seus adversários, o que eles conseguiram. No momento em que os democratas conseguiram 219 assentos, o Partido Republicano somava 193 deputados eleitos.

Com o domínio democrata na Câmara, os opositores de Trump também passarão a ocupar mais cargos nas comissões internas e prometem ampliar as investigações sobre seu governo.

 

Alguns destaques desta eleição:

A democrata Alexandria Ocasio-Cortez, de Nova York, se tornou a mulher mais jovem a ser eleita para a Câmara, aos 29 anos.

As democratas Ilhan Omar, de Minnesota, e Rashid Tlaib, de Michigan, se tornaram as primeiras mulheres muçulmanas eleitas para a Câmara.

As democratas Deb Haaland, do Novo México, e Sharice Davids, de Kansas, são as primeiras mulheres de origem indígena a se elegerem para a Câmara.

Em Mississippi, nenhum candidato obteve 50% dos votos na eleição especial para a segunda vaga do Senado, e uma nova votação será realizada em 27 de novembro.

Bernie Sanders, ex-pré-candidato à presidência, conquistou com facilidade seu terceiro mandato como senador por Vermont.

O republicano Ted Cruz, ex-pré-candidato à presidência, manteve sua vaga no Senado em uma das mais acirradas disputas deste ano, ao vencer Beto O’Rourke.

Greg Pence, irmão mais velho do vice-presidente Mike Pence, foi eleito para a Câmara por Indiana.

Jared Polis, do Partido Democrata, se tornou o primeiro governador abertamente gay dos EUA ao vencer a disputa em Colorado.

*Com informações G1