Presidente da Chape desabafa após derrota e afirma que “faltou vontade de vencer” para alguns jogadores

A ‘bronca’ foi direcionada para alguns jogadores do elenco

Após a derrota para o Fluminense por 2 a 1, Plínio David de Nês, presidente da Chape, desabafou na zona mista da Arena Condá. Em entrevista às Rádios Oeste Capital e Super Condá, Maninho afirmou que “falta poder de indignação”, referindo-se, sobretudo, a parte do grupo de jogadores do Verdão. “A gente tem que ter, dentro de si, o coração, a paixão e o amor por aquilo que veste. Isto, eu tenho notado, que tem faltado para alguns. E isto eu não quero que aconteça dentro da Chapecoense. E isso tem que parar. Este é o meu sentimento: poder de indignação é zero!”, disse Maninho.

O presidente descartou o uso do termo “salto-alto” para avaliar o comportamento dos atletas. Para Maninho, o time foi escalado com as melhores peças que estavam à disposição da comissão técnica. A ‘bronca’ foi direcionada para alguns jogadores do elenco. “Cada um tem que assumir a sua. Eu não vou defender ninguém. O jogador que não conseguir fazer a sua (parte), é um problema que tem que ser resolvido: ir para o banco, ou melhorar fisicamente, tecnicamente. O que não entendo é jogarmos contra adversários mais fortes e ganharmos. E depois, com os iguais, não conseguirmos. Isso é ruim, isso é péssimo”, finalizou Maninho.

O Verdão inicia nesta quarta-feira (26) a preparação para enfrentar o Ceará. As duas equipes duelam no próximo domingo, em Fortaleza, às 19h, pela 27ª rodada do Brasileirão. Com a derrota para o Fluminense, a Chape ocupa a 17ª posição, dentro do Z-4, estacionada nos 28 pontos.